Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Participada da PT passa a fase seguinte na corrida por operadora da Zâmbia

A Unitel, participada angolana da Portugal Telecom, foi apurada para a próxima fase no processo de privatização da Zamtel, operadora de telecomunicações da Zâmbia, revelou hoje a Agência de Desenvolvimento da Zâmbia (ZDA na sigla em inglês).

Miguel Prado miguelprado@negocios.pt 13 de Janeiro de 2010 às 10:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Unitel, participada angolana da Portugal Telecom, foi apurada para a próxima fase no processo de privatização da Zamtel, operadora de telecomunicações da Zâmbia, revelou hoje a Agência de Desenvolvimento da Zâmbia (ZDA na sigla em inglês).

A ZDA, numa reunião na passada segunda-feira, decidiu aprovar a lista de quatro empresas que tinham apresentado propostas a 23 de Dezembro para a aquisição de até 75% da Zamtel. Estão na corrida a indiana BSNL, a LAP Greencomm da Líbia, a Unitel (onde a PT tem 25%) e a Altimo, da Rússia.

O director geral da ZDA, Muhabi Lungu, comentou, citado num comunicado, que "as propostas apresentadas foram convincentes e reuniram as condições para uma próxima fase entusiasmante".

A nova fase desta privatização da Zamtel irá começar no próximo dia 18. Na próxima semana as quatro multinacionais interessadas receberão informação sobre os requisitos e prazos para fazerem novas propostas. "Os detalhes das propostas não são revelados nesta fase porque fazê-lo iria afectar as fases futuras do processo de privatização", refere a ZDA em comunicado.

A Zamtel é uma empresa criada em 1994 e que opera hoje nas redes fixa e móvel, na fibra e no fornecimento de Internet. A intenção de privatização foi anunciada em Julho do ano passado, tendo o governo da Zâmbia indicado que pretende manter pelo menos 25% do capital nas mãos do Estado.

A Portugal Telecom detém 25% da Unitel, participação idêntica à de Isabel dos Santos. Além de Angola, a PT está presente, no continente africano, em Cabo Verde (tem 40% da CVT), São Tomé e Príncipe (51% da CST) e Namíbia (34% da MTC).
Ver comentários
Outras Notícias