Tecnologias Por oito vezes não o deixaram entrar nos EUA. Agora é um CEO bilionário

Por oito vezes não o deixaram entrar nos EUA. Agora é um CEO bilionário

Yuan teve a ideia de criar a Zoom quando ainda estudava e por várias vezes teve de viajar durante 10 horas para ver a namorada.
Por oito vezes não o deixaram entrar nos EUA. Agora é um CEO bilionário
Bloomberg
Bloomberg 19 de abril de 2019 às 18:36

Depois de ouvir Bill Gates num discurso sobre Internet há 30 anos, Eric Yuan decidiu que queria fazer parte do boom das dat.com em Silicon Valey.


Mas o empreendedor nascido na China teve uma contariedade. O Governo norte-americano negou-lhe o visa por oito vezes.


Depois de dois anos de rejeições, Yuan, de 49 anos, conseguiu finalmente entrar nos Estados Unidos e é agora o maior acionista da firma de conferências de vídeo Zoom Video Communications, que levantou 751 milhões de dólares numa oferta pública inicial realizada na quarta-feira.


Yuan e os seus familiares venderam ações avaliadas em 57 milhões de dólares, tendo em conta o preço do IPO de 36 dólares por ação. As ações fecharam a primeira sessão no Nasdaq nos 62 dólares, avaliando a posição de Yuan em 3,2 mil milhões de dólares, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index.


Priscilla Barolo, fonte oficial da Zoom, recusou comentar. Yuan afirmou numa entrevista à Bloomberg TV que "a cotação está muito elevada" e que a forte valorização das ações está a aumentar a pressão sobre a empresa.  


Yuan, que é o CEO da Zoom, junta-se a Sergey Brin da Alphabet, Jensen Huang da Nvidia e Elon Musk da Tesla no grupo de imigrantes que ajudaram a criar empresas de sucesso em Silicon Valley.

 

Os Estados Unidos é o país favorito para mais de dois terços dos chineses masi ricos que pretendem emigrar, de acordo com o Hurun Research Institute e o Visas Consulting Group.

 

O mercado de video-conferências  deverá crescer 8% ao ano até 2026, de acordo com a Transparency Market Research, que também antecipa um número crescente de pessoas a trabalhar a partir de casa. A Zoom revelou um lucro de 7,6 milhões de dólares com receitas de 331 milhões de dólares no ano fiscal que terminou em janeiro, tendo agora uma avaliação nove vezes superior aos mil milhões de dólares quando concluiu uma ronda de financiamento há dois anos.

 

Antes de fundar a Zonn em 2011, Yuan trabalhou na WebEx Communications e depois da Cisco Systems depois desta ter comprado a empresa de conferências online em 2007, por 3,2 mil milhões de dólares.

 

Yuan teve a ideia de criar a Zoom quando ainda estudava e por várias vezes teve de viajar durante 10 horas para ver a namorada.

 

"Um dia, se puder ter um aparelho inteligente e com apenas um clique conseguir falar contigo e ver-te, será o meu sonho", lembrou Yuan durante uma entrevista e Julho, recordando que desde essa altura a ideia não lhe saiu da cabeça. "Todos os dias pensava nisso".


Texto original: Refused U.S. Visa Eight Times, Zoom CEO Is Now a Billionaire




Marketing Automation certified by E-GOI