Tecnologias Portugal entre os piores na segurança online em 2015

Portugal entre os piores na segurança online em 2015

Na véspera do Dia da Internet Segura, um relatório do Eurostat informa que Portugal está entre os países da União Europeia com maior percentagem de pessoas penalizadas pela falta de segurança online.
Portugal entre os piores na segurança online em 2015
Reuters
Inês F. Alves 08 de fevereiro de 2016 às 13:03

Cerca de 36% dos utilizadores de internet em Portugal experienciaram algum problema de segurança online em 2015, acima da média da União Europeia de 25%, informa um comunicado divulgado esta segunda-feira, 8 de Fevereiro, pelo Eurostat.

No conjunto da União, a proporção de utilizadores de internet que experienciaram problemas de segurança online – como vírus, abuso de informação pessoal, perdas financeiras ou acesso de menores a sites inapropriados – situou-se nos 25% no ano passado. Ou seja, em média, 75% dos europeus não teve problemas de segurança online.

Os números do Eurostat são divulgados na véspera do Dia da Internet Segura, que se celebra a 9 de Fevereiro, e que visa promover a segurança e um uso responsável da internet, especialmente entre os mais jovens.

Entre Estados-membros, os países com uma maior percentagem de utilizadores afectados por problemas de segurança online foram a Croácia (42%), a Hungria (39%), Portugal (36%), Malta (34%) e França (33%). Já a República Checa (10%), Holanda (11%), Eslováquia (13%), e Irlanda (14%) registaram o menor número de utilizadores penalizados por algum dos problemas.

Entre os problemas mais reportados pelos utilizadores afectados estão os vírus ou infecções semelhantes, como "worm" (um programa semelhante aos vírus, com a diferença de ser auto-replicante), ou o "trojan" (entra no computador como se fosse um progrma normal). Em média, cerca de 21% dos utilizadores de internet na União Europeia teve de lidar com vírus informáticos.

Em Portugal, a percentagem foi de 33%, menos quatro pontos percentuais do que em 2010 (37%). Apesar da melhoria, Portugal continua no fundo da tabela, a par da Croácia (41%) e da Hungria (36%). Pelo contrário, este problema afectou menos de 10% dos utilizadores da Holanda (6%), da República Checa (8%) e da Eslováquia (9%).

A insegurança online desincentiva a utilização da internet para várias actividades, como as compras online ou a utilização de plataformas de serviços bancários.

Cerca de 30% dos utilizadores de internet em Portugal dizem não utilizar este meio para fazer compras online. Em termos europeus, os problemas de segurança online desincentivam cerca de 19% dos utilizadores de comprar pela internet

No caso dos serviços bancários online, a percentagem de pessoas que dizem não utilizar a internet para este tipo de actividades em Portugal é de 26%, face aos 18% da média europeia.

Há ainda quem receie utilizar ligações de acesso sem fios (wireless) fora de casa por questões de segurança, sendo que em Portugal se tratam de 16% dos utilizadores. A média europeia situa-se nos 13%.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI