Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Reditus corta 120 postos de trabalho em 2002 para contornar conjuntura

A Reditus cortou 25% da força de trabalho em 2002 para contornar a perspectivada depressão na conjuntura económica, tendo concluído, já em 2003, uma reestruturação das funções de subsidiárias para se proteger desse abrandamento.

Negócios negocios@negocios.pt 18 de Fevereiro de 2003 às 17:20
  • Partilhar artigo
  • ...
A Reditus cortou 25% da força de trabalho em 2002 para contornar a perspectivada depressão na conjuntura económica, tendo concluído, já em 2003, uma reestruturação das funções de subsidiárias para se proteger da continuação desse abrandamento.

O presidente executivo da Reditus [RED] Frederico Moreira Rato afirmou, em conferência de imprensa, que «pensamos que o ano de 2002, operacionalmente nos correu bem, porque antecipámos algumas medidas de contenção de custos».

A Reditus optou por reduzir 120 colaboradores em 2002, tendo, actualmente, 350 empregados como medida de controlo dos custos com o pessoal.

Esta estratégia resultou da «reflexão que fizemos a 2002 de que iria haver um abrandamento económico muito significativo que desembocaria numa recessão e, já estamos certos que aconteceu», afirmou Nogueira Leite, ex-presidente da Euronext Lisbon e líder do conselho de estratégia da empresa de tecnologias de informação.

Além do corte de pessoal, a Reditus alterou a estrutura das subsidiárias de modo a tornar criar maior valor para os accionistas, preparando-se para o aumento da concorrência previsto em 2003, explicou Moreira Rato.

As actividades de gestão de recursos e de gestão de processos, principal fonte de receitas da empresa, deixam de estar afectas à InterReditus e passam para a esfera da Redware.

Na InterReditus ficam as actividades de integração de sistemas de tecnologias de informação e apoio ao cliente. Na Reditus II Telecomunicações, estarão as actividades de «contact center».

A empresa pretende, desta forma, alavancar as receitas na área de «contact center», destacando-a numa subsidiária.

O grupo também juntou os serviços partilhados numa única entidade «para evitar duplicação de custos e ter uma maior visibilidade do que se está a passar», acrescentou o presidente executivo da Reditus.

Esta reestrururação, iniciada em 2002 e concluída no início de 2003, terá «impactos importantes» nos resultados da Reditus no ano passado, afirmou Moreira Rato, sem quantificar poupanças por receios de penalização, em resultado da falta de comunicação antecipada à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

«Pensamos que estamos melhor apetrechados com a reestruturação» face à nova concorrência que advém no mercado em depressão, com a procura de áreas com «menos glamour», disseram Moreira Rato e Nogueira Leite. Algumas consultoras começam a exercer novas actividades, como a gestão de processos.

A Reditus [RED] diz não ter incidido a estratégia unicamente na contenção dos custos, também foi pensado a gestão dos proveitos, adiantou Nogueira Leite.

A empresa entende que «o que aí vem não é bom», sendo que «esta divisão vai possibilitarmos ficar menos vulneráveis e bastantes mais fortes com esta reestruturação», revelou Moreira Rato em conferência de imprensa.

«O lado dos proveitos também foi uma preocupação», facto que terá levado a companhia a «assegurar a previsibilidade das receitas» com o alargamento dos prazos de contratos com clientes, aceite por redução de preços, explicaram os responsáveis da Reditus.

Receitas de serviços crescem em 2002 e 2003; resultados financeiros em quebra

As contas da Reditus relativas ao exercício de 2002 serão divulgadas a 14 de Março.

Em antecipação e sem quantificar valores, Moreira Rato assegurou que as receitas de serviço apresentaram uma melhoria de comportamento em 2002 e «continuarão a crescer em 2003».

A área de «hardware» registou um «trambolhão» em 2002 e os resultados financeiros apresentam «uma má» performance durante esse período.

Contudo, a mesma fonte não quis avançar qual o resultado da soma dos três indicadores. Nos primeiros nove meses de 2002, a Reditus registou 1,5 milhões de euros de prejuízos, contra um lucro de 260 mil euros no mesmo período do ano anterior.

Mercados internacionais aumentam peso nas receitas da Reditus

O volume de negócios da Reditus caiu, entre Janeiro a Setembro de 2002, 17% para os 12,87 milhões de euros.

No conjunto de 2002, os mercados internacionais representavam 25% do total das receitas do grupo.

«Em 2003 é provável que esse número cresça», referiu Moreira Rato, que não detalhou valores.

A aposta em novos mercados, como o espanhol, será responsável por esse aumento, disse o presidente da Reditus, garantindo «que não vamos abrir escritórios em novos mercados».

Os mercados polaco e francês são os principais fontes de receitas externas do grupo.

As acções da Reditus encerraram nos 0,95 euros a cair 2,06%.

Por Bárbara Leite

Ver comentários
Outras Notícias