Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Resultado da Compta cresce mais de 200% no segundo trimestre

A tecnológica nacional, liderada por Armindo Monteiro, conseguiu crescer em todas as rubricas, no primeiro semestre do ano.

Ana Torres Pereira atp@negocios.pt 01 de Setembro de 2014 às 17:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Os resultado antes de impostos da Compta atingiram os 326 mil euros, mais 204% do que o registado no período homólogo, "o que reflecte a boa performance do grupo e a adequação das políticas adoptadas face à conjuntura em que a actividade se desenvolve".

 

Os resultados operacionais aumentara 37,2%, para os 702 mil euros, enquanto os resultados financeiros cresceram 7,1%, "fundamentalmente devido a diferenças de câmbio favoráveis nas operações realizadas pelo grupo", adiantou a mesma fonte.

 

A tecnológica nacional explica que "os lucros retidos gerados pelas operações em continuidade somaram 257 mil euros, uma progressão muito favorável face aos 31 mil euros, registados em 2013".

 

No período em análise, a Compta concretizou a operação de saída do perímetro de consolidação de uma empresa associada, dando origem a um lucro retido no período de 2,4 milhões de euros.

 

Os proveitos operacionais registaram um crescimento de 3,3%, ultrapassando os 14,8 milhões de euros.

 

O EBITDA, ou cash flow operacional, melhorou 11,7 % para os 994 mil euros, em consonância com o plano traçado, detalha a mesma fonte.

 

Neste semestre, o capital próprio da Compta passou de 1,9 milhões de euros negativos, para 578 mil euros. O passivo diminuiu de 33,5 milhões de euros, para cerca de 20 milhões de euros.

 

A Compta recorda ainda que em 2013 foi "ratificada em assembleia geral uma operação de redução e aumento de capital da DEZ, S.A. que a conduzirá à saída do perímetro de consolidação. No final do primeiro semestre de 2014 foi possível concretizar a operação, tendo a referida empresa sido excluída do perímetro".

 

No seu relatório e contas, a Compta refere que "o desenvolvimento da actividade do grupo deve continuar assente no aprofundamento da sua estratégia em termos de oferta, que se encontra consubstanciada em torno de dois eixos fundamentais, o de integrador de tecnologias e o de fabricante de produtos próprios, a par de uma cada vez mais acentuada e necessária aposta na internacionalização da organização".

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias