Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sonaecom reduz prejuízos em 71%; Optimus investe 100 milhões em 2004 (act)

A Sonaecom anunciou hoje que apurou um resultado líquido consolidado negativo de 19,17 milhões de euros em 2003, valor que representa uma diminuição de 71% face a 2002 e saiu em linha com as estimativas dos analistas. A Optimus lucrou 25 milhões de euros

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 03 de Março de 2004 às 17:41
  • Partilhar artigo
  • ...

A Sonaecom anunciou hoje que apurou um resultado líquido consolidado negativo de 19,17 milhões de euros em 2003, valor que representa uma diminuição de 71% face a 2002 e saiu em linha com as estimativas dos analistas. A Optimus lucrou 25 milhões de euros e vai investir 100 milhões de euros este ano.

Em 2002 a Sonaecom tinha apurado prejuízos de 65,1 milhões de euros e os analistas aguardavam que a empresa registasse resultados líquidos negativos entre 17 e 23,5 milhões de euros em 2003.

Só no quarto trimestre a Sonaecom teve prejuízos de 5,4 milhões de euros, mais do dobro do verificado no terceiro trimestre, mas menos de metade do registado no período homólogo.

O ano passado, também em linha com as estimativas, a empresa liderada por Paulo Azevedo registou um volume de negócios de 838 milhões de euros, mais 6% que em 2002.

«Estes resultados traduzem as orientações que a Sonaecom deu ao mercado para 2003 no que toca à melhoria da rentabilidade e geração de FCF», diz a empresa em comunicado.

O EBITDA, ou «cash flow» operacional, mais que duplicou para 146 milhões de euros, o que representa uma margem EBITDA de 17%, mais 8 pontos percentuais que no ano anterior.

A empresa para as tecnologias e telecomunicações do Grupo Sonae reduziu a dívida em 11% para 336 milhões de euros, com o rácio da dívida sobre o EBITDA a melhorar de 5,3 para 2,3.

Pela primeira vez a Sonaecom [SNC] apurou um «free cash flow» (FCF) anual positivo, de 35 milhões de euros, contra o registo negativo de 55 milhões de euros em 2002.

A Sonaecom destaca o crescimento do volume de negócios, «apesar da conjuntura desfavorável ao crescimento em 2003: recessão económica, corte das tarifas, crise no mercado publicitário, menor utilização no acesso de Internet de banda estreita, redução dos gastos empresariais em serviços TI e inexistência de avanços em matéria de regulação, quer ao nível do fixo, quer ao nível de Internet».

O ano passado o investimento de capital, ou «capex», da Sonaecom desceu 3% para 123 milhões de euros. «A redução deve-se principalmente ao facto de a Optimus não ter realizado grandes investimentos em UMTS e de a Novis ter completado a sua infra-estrutura de telecomunicações em Fevereiro», refere o comunicado.

Optimus obtém lucros pela primeira vez e adiciona 186 mil clientes

O ano passado a Optimus obteve um resultado líquido de 25 milhões de euros, no primeiro ano de lucros positivos. O EBITDA cresceu 37% para 146,5 milhões de euros, com a margem EBITDA a melhorar de 18% para 23%.

O volume de negócios cresceu 5% até aos 636 milhões de euros e a empresa conquistou 186 mil clientes o ano passado, elevando a base de clientes para 2,306 milhões. No entanto o ARPU, receita média mensal por cliente, desceu 6% para 22,4 euros.

Em 2004 a Optimus anunciou que prevê investir 100 milhões de euros, dos quais 30 milhões de euros correspondem exclusivamente ao UMTS, serviço que a empresa prevê lançar no segundo semestre deste ano, embora a massificação seja aguardada só em 2006.

O ano passado o investimento de capital da Optimus ascendeu a 71 milhões de euros

2004 ainda será um ano difícil

Em relação à Novis a Sonaecom diz que foram atingidos «todos os objectivos estratégicos». O tráfego cresceu 30% para 3,2 mil milhões de minutos. As receitas de serviços aumentaram 9% para 151 milhões de euros.

No Clix, fornecedor de acesso à Internet, o volume de negócios desceu 5% até aos 33,9 milhões de euros, com o EBITDA a sofrer uma redução para um valor negativo de 1,8 milhões de euros. Os prejuízos apurados em 2003 quase duplicaram para 8,7 milhões de euros.

Já o Público verificou um crescimento de 24% nas receitas para 52 milhões de euros«, com o EBITDA a ficar positivo em 500 mil euros.

Nas perspectivas para este ano a Sonaecom diz que 2004 «será ainda um ano difícil, mas com um ponto de partida mais favorável que o de 2002 ou 20003».

«A Sonae com está confiante que os níveis de produtividade e de qualidade do serviço alcançados ao longo do último ano, permitirão que a empresa beneficie da retoma económica», conclui o documento.

As acções da Sonaecom terminaram a subir 0,9% para os 3,38 euros.

Ver comentários
Outras Notícias