Telecomunicações Zon perde quatro accionistas qualificados com aumento de capital para absorver Optimus

Zon perde quatro accionistas qualificados com aumento de capital para absorver Optimus

Visabeira, Goldman Sachs, Norges Bank e Zadig não venderam qualquer acção da empresa, mas passaram a deter uma posição inferior a 2% no capital da companhia que resultou da fusão entre a Zon e a Optimus.
Zon perde quatro accionistas qualificados com aumento de capital para absorver Optimus
Paulo Duarte/Negócios
Nuno Carregueiro 05 de setembro de 2013 às 19:03

O aumento de capital que a Zon Multimedia realizou, para incorporar a Optimus, levou a que quatro accionistas com uma posição acima de 2% na empresa deixassem de ser accionistas qualificados na nova Zon Optimus.

 

Na quarta-feira, a Zon tinha anunciado a redução das posições do Norges Bank e da Zadig e, esta quinta-feira, foi a vez de comunicar que, também, o Goldman Sachs e a Visabeira deixaram de ser accionistas com posição qualificada (acima de 2%).

 

Estas reduções de posição não resultaram da venda de qualquer acção, mas antes do aumento do número de títulos que compõe o capital social da Zon Optimus, em virtude do aumento de capital que a empresa efectuou, para absorver a operadora móvel do Grupo Sonae.

 

A posição do Goldman Sachs baixou de 2,189% para 1,736% (8.944.859 acções) e a participação da Visabeira também desceu da fasquia dos 2%, para 1,358% (6.998.135 acções). O Norges Bank passou a deter 1,57% do capital (através de 8.100.474 acções) e a Zadig 1,75% (através de 9 milhões de acções).

 

Após a operação de fusão que resultou na Zon Optimus, a estrutura accionista da empresa sofreu alterações. A ZOPT (controlada por Isabel dos Santos e pela Sonaecom) detém 50,01% da empresa, a Sonaecom uma posição individual de 7,28% e o BPI é o terceiro maior accionista com 4,53%. Segue-se a Fundação Berardo (3,38%), a Espírito Santo Irmãos (3%) e Joaquim Oliveira (2,9%). Estes accionistas em conjunto controlam 71,1% da Zon Optimus.

 




pub