Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Zon e Sonaecom ganham 58,6 milhões de euros após acordo para fusão

As acções da Zon e da Sonaecom subiram, tendo chegado a tocar em níveis de, pelo menos, Julho de 2011. O interesse dos investidores foi elevado, após o anúncio de negociações para uma fusão entre a Zon e a Optimus, e a prova é que não trocavam de mãos tantas acções da Sonaecom desde 2009.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 17 de Dezembro de 2012 às 17:20

A Zon subiu 6,16% para 2,987 euros, tendo chegado a disparar 17,27% para 3,30 euros, o que corresponde ao valor mais elevado desde Julho de 2011. O valor de fecho, avalia a Zon em 923,28 milhões de euros, ou seja, mais 53,47 milhões do que na sexta-feira.

 

No total, foram negociadas mais de 3,6 milhões de títulos da empresa liderada por Rodrigo Costa, o que corresponde a mais de cinco vezes a média diária dos últimos seis meses. Este é mesmo o volume mais elevado desde 6 de Junho de 2012, um dia depois do Negócios ter noticiado que Isabel dos Santos aumentou a sua posição na Zon para 17,84% do capital.

 

Foi já no final do dia de 5 de Junho que o Negócios noticiou que a empresária angolana tinha fechado a compra da posição de 2,82% que a Cinveste, detida pelo tenente-coronel Luís Silva, tinha na Zon.

 

As acções da Sonaecom, que chegaram a subir um máximo de 17,19% para 1,80 euros – o que corresponde ao valor mais elevado desde Fevereiro de 2010 -, terminaram a sessão a ganhar apenas 0,91% para 1,55 euros. Este preço das acções, avalia a empresa em 567,61 milhões de euros, mais 5,12 milhões de euros do que na sexta ao final da sessão.

 

E com um volume também elevado. Trocaram de mãos mais de 5,06 milhões de acções, quase 20 vezes mais do que a média diária dos últimos seis meses.

 

A notícia de que as duas empresas estão a estudar uma fusão foi divulgada na sexta-feira já depois do fecho do mercado. Tendo só hoje reflectido na negociação das acções.

 

Há muito que os analistas vêm defendendo que a fusão entre a Zon Multimédia e a Optimus faz sentido. Não só pela complementaridade dos seus negócios, mas também porque poderá permitir às duas empresas de telecomunicações realizarem sinergias elevadas. No melhor dos cenários, as sinergias poderão chegar até aos 530 milhões de euros.

 

Isabel dos Santos diz que a fusão entre a Zon e a Optimus é um negócio oportuno e espera que os accionistas da primeira entendam as vantagens desta operação. "Tivemos um diálogo prolongado e profundo com a Sonaecom. Concluímos pela conveniência e oportunidade do negócio. Resta-nos aguardar que o conselho de administração e os restantes accionistas da ZON estejam em sincronia com o nosso convite”, afirmou fonte próxima da empresária angolana ao Negócios.

 

Foram várias as casas de investimento a rever as avaliações que têm da Zon e da Sonaecom, dona da Optimus, para reflectir a fusão e sinergias das duas cotadas.

 

Ver comentários
Saber mais Zon Optimus Sonaecom fusão Isabel dos Santos
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio