Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

ANA alarga incentivos a companhias aéreas a voar para aeroportos nacionais

Novas rotas, apostas em percursos existentes e aumento do número de passageiros transportados. São estes os três critérios previstos para apoiar as companhias aéreas a voar para Portugal, num ano em que se prevêem quase 38 milhões de turistas por esta via.

Wilson Ledo wilsonledo@negocios.pt 03 de Março de 2015 às 16:41
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...

A ANA Aeroportos – integrada no grupo Vinci Airports desde Setembro de 2013 – vai alargar o seu leque de incentivos às companhias aéreas a voar para Portugal. O plano a esse nível foi apresentado esta terça-feira, 3 de Março.

 

Os apoios deixam de ser um exclusivo das novas rotas e passam a integrar os percursos já existentes, em termos de diversificação da oferta e do aumento da eficiência operacional, sendo aplicados a todas as companhias aéreas.

 

Assim, as companhias aéreas que aumentem o número de passageiros transportados nas rotas existentes, apostem na diversificação dos horários, entrem em percursos já existentes ou criem novas rotas, poderão beneficiar destes incentivos a partir do final de Março.

 

Os apoios são aplicáveis em nove dos 10 aeroportos geridos pela ANA, sendo Lisboa a única fora desta lista. Para o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, este sistema de incentivos é "coerente" com o modelo definido aquando da privatização da empresa ao permitir um investimento "nas zonas que mais precisam".

 

Para as empresas que aumentem o seu número de passageiros, estão previstos incentivos entre um e três euros por passageiros. O valor fixa-se entre os 2 e os 9,5 euros quando respeita ao investimento em percursos já existentes. A criação de novas rotas recebe os apoios mais elevados: 4,5 a 16 euros por passageiro.

 

No caso de novas rotas, o incentivo às transportadoras poderá mesmo ultrapassar a fasquia do milhão de euros. Uma rota Funchal-Estocolmo ou Porto-Varsóvia são apontadas como exemplos.

 

Por sua vez, os apoios às rotas já existentes ficarão sujeitos ao crescimento efectivo das companhias e dos percursos operados, tendo ainda em conta aspectos como a capacidade dos aeroportos e o contributo para a redução da sazonalidade da procura.

 

A ANA reservará entre 4 a 5% do valor das suas receitas para suportar este Plano de Incentivos.

 

Recentemente, a ANA e o Turismo de Portugal assinaram ainda um acordo avaliado em 10 milhões para a promoção turística do país. 

 

37,8 milhões de passageiros previstos para 2015

A ANA Aeroportos prevê que cheguem aos seus 10 aeroportos nacionais cerca de 37,8 milhões de passageiros durante este ano, representando um crescimento homólogo de 4,8%. Lisboa deverá chegar perto dos 20 milhões de passageiros e Ponta Delgada será o aeroporto com mais crescimento, na sequência da liberalização do espaço aéreo açoriano.

 

No ano passado, os aeroportos da ANA registaram 35 milhões de passageiros, um aumento de 9,5% face ao ano anterior. Lisboa representou mais de metade desse total. Ao todo, foram criadas 31 novas rotas no Verão e outras 24 no Inverno. Em 2014, passaram a voar para Portugal mais oito companhias aéreas.

 

Ver comentários
Saber mais ANA Aeroportos grupo Vinci Airports ANA Lisboa secretário de Estado dos Transportes Sérgio Monteiro Plano de Incentivos Portugal economia negócios e finanças Informação sobre empresas grandes empresas
Outras Notícias