Aviação Austrália diz que destroços de Moçambique deverão ser do voo desaparecido da Malaysia

Austrália diz que destroços de Moçambique deverão ser do voo desaparecido da Malaysia

Os destroços encontrados em Moçambique no início do mês são "quase de certeza" do voo MH370, disse o ministro australiano das Infraestruturas e Transportes, Darren Chester.
Austrália diz que destroços de Moçambique deverão ser do voo desaparecido da Malaysia
Reuters/ Tomasz Bartkowiak
André Vinagre 24 de março de 2016 às 10:15

Darren Chester, ministro australiano das Infraestruturas e Transportes, disse que os destroços encontrados no início deste mês em Moçambique têm uma grande probabilidade de pertencer ao voo MH370, que desapareceu dos radares há dois anos e nunca mais foi encontrado, avança a agência Reuters esta quinta-feira, 24 de Março.

 

"Os destroços encontrados na costa leste de África são consistentes com o modelo e reafirma os nossos esforços nas buscas no sul do Oceano Índico", disse num comunicado o ministro australiano.

 

As buscas levadas a cabo pela Austrália, que já se tornaram das mais caras de sempre, têm-se focado em 120 mil quilómetros quadrados no sul do Oceano Índico. Os destroços agora encontrados foram examinados por investigadores da Austrália e da Malásia, assim como especialistas da Boeing, da Geoscience Australia e da Australian National University, em Camberra.

 

Numa primeira análise, as autoridades relacionaram de imediato os destroços encontrados no início deste mês com o Boeing 777 que desapareceu dos radares em Março de 2014. Em 2015, as autoridades francesas já tinham confirmado que uma parte de asa encontrada na ilha de Reunião, perto de Madagáscar, na costa leste africana, pertencia ao avião desaparecido.

 

De acordo com a Reuters, os investigadores acreditam que alguém pode ter deliberadamente desligado o "transponder" (dispositivo de comunicação electrónico) antes de desviar o avião para a costa leste de África.

 

O voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu em 8 de Março de 2014 com 239 pessoas a bordo. Duas semanas depois, o Governo da Malásia concluiu que o avião teria caído no mar, depois de os registos oficiais darem conta que o aparelho executou um voo errático durante várias horas antes de desaparecer dos radares. O avião da Malaysia Airlines viajava de Kuala Lumpur, na Malásia, para Pequim, na China.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI