Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Estado espanhol pode injetar dinheiro na Iberia através de fundo estratégico

Foi criado na sexta-feira o Fundo para empresas estratégicas. Parte do dinheiro poderá ir parar à Iberia, noticia o El País.

Espanha também prepara ajuda à Iberia
Negócios 04 de Julho de 2020 às 20:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A ajuda do Estado espanhol à Iberia deverá ser feita através do Fundo de Apoio à Viabilidade de Empresas Estratégicas, criado num conselho de ministros extraordinário que se realizou na sexta-feira, e que terá 10 mil milhões de euros para ajudar essas companhias consideradas estratégias, pela revelância de segurança, saúde, de infraestruturas e comunicações.

O El País avança este sábado que a Iberia receberá partes destas ajudas, podendo com esse dinheiro continuar a fusão com a Air Europa, que foi celebrada em novembro último.

Há outros países a criarem este tipo de fundos. E as companhias aéreas têm recebido ajudas significativas. A Alemania destinou 9.000 milhões à Lufthansa e França e Holanda têm um acordo para resgatar a Air France-KLM no total de 7 mil milhões. Em Portugal o Estado vai emprestar 1.200 milhões à TAP, tendo chegado a acordo para reforçar paralelamente no capital da companhia, ficando com 72,5%.

Segundo o EL País, a Iberia diz não ter reclamado qualquer resgate nem apoio, ainda que admite necessidade de financiamentos, admitindo mesmo recorrer a linhas de crédito com garantias públicas. Aliás, a Iberia já recebeu, dessas linhas, geridas pelo  Instituto de Crédito Oficial (ICO), 750 milhões de euros, tendo a Vueling, do mesmo grupo IAG, garantido mais 260 milhões.

O jornal espanhol escreve que com esse financiamento a Iberia tem uma almofada financeira de 2.000 milhões, que lhe permite fazer face à emergência sanitária e para continuar a operar. No entanto, o Governo espanhol e a própria companhia não quererão também que seja abortada a fusão com a Air Europa, que implicava o pagamento, pela Iberia, de um valor de mil milhões de euros, se aprovada a operação por Bruxelas. A crise levou a uma revisão das condições, nomeadamente do preço. 

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias