Aviação Fernando Pinto: “A crise de combustível foi muito difícil de ultrapassar”

Fernando Pinto: “A crise de combustível foi muito difícil de ultrapassar”

A TAP, em 2008, perdeu 200 milhões de euros de capital, por causa do aumento da factura de combustível. Foi uma crise “muito difícil de ultrapassar”, admitiu Fernando Pinto, em entrevista ao programa “Política Mesmo” da TVI 24.
Fernando Pinto: “A crise de combustível foi muito difícil de ultrapassar”
Sofia A. Henriques/Negócios
Ana Torres Pereira 28 de março de 2014 às 00:57

No mês em que apresentou um incremento dos lucros do ano de 2013, Fernando Pinto recordou que foi muito difícil recuperar da crise. “Tem sempre um risco de acontecer uma crise e nós conseguimos ultrapassar dois anos de crise e estamos a crescer”, recordou o responsável.

 

Apesar dos lucros, o gestor diz ainda não haver capacidade para pagar dividendos ao accionista Estado, “porque há prejuízo acumulado”. “Quando a empresa estiver capitalizada, muito rapidamente vai dar lucro para poder distribuir dividendo”, acrescentou.

 

O CEO da TAP recordou que, para todo o processo de recuperação da empresa, os trabalhadores foram essenciais, uma vez que eles entenderam as dificuldades e ajudaram. “Fizemos uma aliança com os trabalhadores para recuperar a empresa”, disse.

 

Quer com os trabalhadores, quer com o accionista, “o principal sempre foi o diálogo”. E, não obstante os cinco governos e oito ministros, “as mudanças não afectaram a TAP. Tivemos alguns contratempos, mas mesmo assim a TAP foi crescendo”.

 

“Os últimos tempos foram mais difíceis mas não por causa dos ministros”, acrescentou.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI