Aviação Fernando Pinto: “A empresa nunca esteve numa situação tão boa para fazer a privatização”

Fernando Pinto: “A empresa nunca esteve numa situação tão boa para fazer a privatização”

O presidente da TAP, Fernando Pinto, defende que a “empresa nunca esteve numa situação tão boa para fazer a privatização”. Contudo, diz não saber se o mercado está preparado.
Fernando Pinto: “A empresa nunca esteve numa situação tão boa para fazer a privatização”
Miguel Baltazar/Negócios
Ana Torres Pereira 28 de março de 2014 às 00:50

O governo tem mostrado a sua vontade em avançar com o processo de privatização da TAP durante este ano. Para Fernando Pinto, se por um lado a empresa nunca esteve tão bem, por outro sublinha não poder dizer “se este é o momento de mercado”, mas que “temos que ter paciência”.

 

Em entrevista ao programa “Política Mesmo”, na TVI 24, o gestor sublinhou a importância de fazer a venda da companhia de uma forma bem feita. “É fundamental ter um bom parceiro, que a sede da empresa se mantenha aqui, a gestão fique aqui… o negócio tem que estar aqui e deve continuar a crescer”.

 

Quanto aos interessados, nomeadamente a Miguel Pais do Amaral e Frank Lorenzo, Fernando Pinto conta que tem havido conversações e que tem sido fornecida muita informação. Ressalva contudo que “ainda são potenciais” interessados e que há que analisar “se são estes os parceiros que queremos. Nós, Portugal e o Governo”.

 

Para o presidente da TAP, é importante que o futuro parceiro da companhia tenha capacidade de investimento para acelerar o crescimento da companhia. No entanto, diz não ter preferência se este devia ser estratégico ou financeiro.

 

“O financeiro consolida a nossa posição de pivot para o Brasil e África. Um parceiro estratégico também tem as suas vantagens, traz sinergias e isso tem que ser pesado”, acrescentou o responsável, na mesma entrevista, concedida à TVI24 nesta quinta-feira à noite.

 

E admite: “Eu não tenho preferido, eu sou bastante frio nisso… Temos que analisar muito bem as propostas”.

 

Com a nova avaliação da empresa prevista para Abril, Fernando Pinto disse acreditar que esta poderá dar uma nova direcção para a privatização, uma vez que “existem várias formas de privatizar. Estamos num livro aberto”.

 

O gestor foi elogioso quanto à actuação do secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, pois “tem feito um trabalho connosco” e porque “nos tem ajudado”.

 

No que concerne a German Efromovich, presidente do Grupo Synergy e único concorrente à anterior privatização, Fernando Pinto reiterou que teria “sido uma boa privatização”, recordando que a opinião técnica dada pela administração foi positiva. “É um grupo que é forte, a Avianca é quase três vezes maior que a TAP e trazia sinergias”, acrescentou.

 

Há 14 anos à frente dos destinos da TAP, Fernando Pinto recordou que quando chegou a Portugal chegou a ouvir: “você não dura mais do que um ano”. “Mas isso não aconteceu e nós somos extremamente respeitados”, afirmou. O gestor continua firme em concluir o processo para o qual foi contratado, a venda da companhia aérea.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI