Aviação Negócios da TAP com a White podem chegar a tribunal

Negócios da TAP com a White podem chegar a tribunal

A EuroAtlantic contesta a decisão da TAP em atribuir a operação da ponte aérea entre Lisboa e Porto à rival White, o que já recebeu “luz verde” do regulador. Tomaz Metello defende que deveria ter existido uma sondagem de mercado.
Negócios da TAP com a White podem chegar a tribunal
Negócios 24 de março de 2016 às 09:09

A companhia aérea privada portuguesa EuroAtlantic admite processar a TAP caso não seja explicada a entrega de aviões e rotas à rival White. A notícia é avançada pela edição desta quinta-feira, 24 de Março, do jornal i.

Tomaz Metello, CEO da EuroAtlantic, defende que não ter havido sondagem de mercado para entregar a operação da Portugália – agora TAP Express – pode constituir uma irregularidade. Em causa estão os voos entre Lisboa e Porto no âmbito da ponte aérea que será lançada já este domingo, 27 de Março. A mesma funcionará com voos operados em parte por aviões fretados à White.


"Fiquei muito admirado porque, como a TAP é uma empresa com capitais públicos, em princípio deveria ter perguntado quem teria melhor cotação para executar a operação", posiciona o gestor ao i.


Tomaz Metello fala em relações preferenciais entre a TAP e White e admite recorrer a instâncias fora do país neste caso: "Vou usar os meios jurídicos para esclarecerem estas questões por que nós seremos afectados".


Por sua vez, o jornal Público escreve que a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) já autorizou a TAP a fretar aviões para garantir esta ponte aérea. O regulador – depois de ter definido bloqueios à gestão a 19 de Fevereiro - considerou que a White tem um valor competitivo face ao mercado.


A "luz verde" permitirá fretar oito ATR 52 que pertenciam à Azul, empresa do sócio David Neeleman. Os equipamentos vão ser integrados na White, sendo depois alugados à TAP.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI