Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

IATA volta a rever em baixa lucros da indústria da aviação

A Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA) voltou a rever em baixa os resultados da indústria da aviação civil, depois de em Março já ter reduzido as previsões.

Ana Torres Pereira atp@negocios.pt 02 de Junho de 2014 às 09:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Tony Tyler (na foto), CEO da IATA, escolheu a assembleia geral da associação, que está a decorrer em Doha, no Qatar, para anunciar que houve uma nova revisão em baixa do desempenho da indústria.

 

Em 2014, as companhias aéreas deverão ter um resultado líquido de 18 mil milhões de dólares (13,1 mil milhões de euros), 700 milhões abaixo do previsto há três meses.

 

Em Março de 2014, a IATA previa lucros de 18,7 mil milhões de dólares, abaixo dos 19,7 mil milhões inicialmente previstos. Apesar destas revisões, os resultados continuam acima dos 12 mil milhões registados no ano passado.

 

As receitas deverão ficar nos 746 mil milhões de dólares (547 mil milhões de euros), valores que comparam com os 743 mil milhões de dólares do período homólogo. Neste campo, a IATA aumentou ligeiramente as estimativas, uma vez que previa os 745 milhões de euros.

 

Foi perante uma plateia cheia de representantes da aviação, em Doha, no Qatar, que o CEO da IATA , Tony Tyler reiterou que a indústria continua a debater-se com as reduzidas margens. A associação manteve as suas previsões de margens de 2,4%.

 

Também o retorno do investimento da indústria irá crescer de 4,4 pontos percentuais, em 2013, para os 5,4%.

 

"Podemos estar satisfeitos com o nosso desempenho, transportámos 3,3 mil milhões de passageiros, 55 milhões de toneladas de carga e criámos 58 milhões de postos de trabalho. Agora o que definirá o sucesso do nosso futuro", questionou Tony Tyler.

 

A batalha entre companhias aéreas e os aeroportos não é nova. As transportadoras aéreas querem baixar os custos e os aeroportos aumentar as receitas. O CEO da IATA, Tony Tyler, em Doha, apelou a uma moderação.

 

E o apelo não ficou pelos aeroportos, o responsável também falou para os Governos. "Iremos lutar contra todas as contingências impostas pelos Governos, mas era melhor que estes olhassem para a indústria como um instrumento de crescimento".

 

No ano em que a aviação civil faz 100 anos, Tony Tyler terminou o seu discurso dizendo: "Temos que ser rentáveis, temos que juntarmo-nos com os Governos para enfrentarmos o futuro. Somos privilegiados de sermos líderes de uma indústria próspera."

 

É a primeira vez que a IATA escolhe um país do Golfo para realizar a sua assembleia geral.

 

* - Jornalista em Doha a convite da IATA 

Ver comentários
Saber mais Tony Tyler IATA aviação
Outras Notícias