Aviação Rui Moreira considera que decisão da ANAC dá razão à Câmara do Porto

Rui Moreira considera que decisão da ANAC dá razão à Câmara do Porto

O presidente da Câmara do Porto considerou esta terça-feira, 23 de Fevereiro, que a decisão da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) "dá razão" à autarquia quando refere que a operação da TAP é estratégica.
Rui Moreira considera que decisão da ANAC dá razão à Câmara do Porto
Lusa 23 de fevereiro de 2016 às 15:18

"No comunicado, a ANAC diz que as questões de operação são estratégicas e isso dá-nos razão", afirmou o independente Rui Moreira, em reunião do executivo, garantindo que sempre que alguém "voltar a fazer uma maldade ao Porto" voltará a fazer ouvir a sua voz.

 

O presidente da Câmara tem criticado a estratégia da TAP para o Porto, acusando-a de ter em curso uma estratégia para "destruir o aeroporto Francisco Sá Carneiro", com vista a construir em Lisboa "um novo aeroporto e uma nova ponte".

 

Na sexta-feira, em comunicado, a ANAC admitiu que existem "fundados indícios de desconformidade" das regras europeias na venda de 61% da TAP à Gateway, o que justifica medidas destinadas a impedir decisões de gestão extraordinária.

 

"As medidas cautelares correspondem, essencialmente, à imposição de limitações à gestão das empresas objeto da notificação, impedindo que sejam tomadas decisões de gestão extraordinária ou que tenham um impacto materialmente significativo no património, na actividade e na operação dessas companhias sem o acordo prévio da ANAC", esclareceu o regulador.

 

Rui Moreira revelou também ao executivo que o primeiro-ministro, António Costa, não o tranquilizou na reunião que tiveram em Lisboa, em que a supressão de rotas de médio curso da TAP de e para o aeroporto do Porto esteve em cima da mesa.

 

"Não me tranquilizou. Ficou claro que o Governo com a reversão parcial pode controlar rotas estratégicas, mas não percebo como sem controlar a comissão executiva. Mas quero acreditar que o fará", disse Moreira.

 

Já sobre a reunião que teve na semana passada,em Lisboa, com Humberto Pedrosa, do consórcio Gateway, Rui Moreira apenas referiu que "serviu para perceber melhor a razão dos cancelamentos [dos voos para Milão, Roma, Barcelona e Bruxelas], mas nada foi esclarecido".

 

Rui Moreira disse ainda que, "mesmo sabendo que a luta poderia ter acabado apenas com pequenas vitórias", não está "nada arrependido" da posição que assumiu em defesa do Porto e da região.

 

"E não venham dizer que vim tratar deste assunto por questões eleitoralistas. É o contrário, a melhor forma de ganhar eleições é assobiar para o lado e dizer... que chatice", sublinhou.

 

O autarca reiterou que a Câmara do Porto "não paga e nunca pagou a nenhuma companhia aérea", afirmando que os incentivos que existiram, por parte do Turismo de Portugal, relativamente a novas rotas "aplicavam-se a todas as companhias aéreas e aeroportos, incluindo o de Lisboa".

 

"Nós temos toda a razão e não podemos ter medo de falar à moda do Porto", frisou Moreira.


(Notícia corrigida às 15:45. A reunião com Humberto Pedrosa foi em Lisboa e não no Porto)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI