Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Transportadoras britânicas vão evacuar 10 mil turistas do Egipto

As companhias aéreas britânicas estão a ultimar um plano para evacuar cerca de 10 mil turistas do Egipto depois de Londres ter proibido os voos comerciais para o país africano. Uma decisão resultante dos indícios de que havia uma bomba no avião russo que caiu no deserto Sinai.

Bloomberg
Negócios 05 de Novembro de 2015 às 12:13
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Easyjet e a Thomas Cook são duas das companhias que estão a ultimar um plano de evacuação de 10 mil turistas britânicos do Egipto, na sequência da queda do avião russo no deserto Sinai, no último fim-de-semana, avança a Bloomberg esta quinta-feira, 5 de Novembro.

 

O resgate dos passageiros foi decidido depois de Londres ter proibido os voos comerciais para o Egipto devido às crescentes suspeitas de que o aparelho russo caiu na sequência da explosão de uma bomba a bordo. Ou seja, devido a um ataque terrorista.

 

Segundo a Bloomberg, a Easyjet revelou esta quinta-feira que tem 4.500 passageiros no país africano e pretende fazer a evacuação de acordo com o modelo seguido na extracção de turistas da Tunísia, em Julho, altura em que um tiroteio matou 30 britânicos. Assim, a companhia deve enviar aviões vazios de Inglaterra que recolherão os passageiros retidos no Egipto.

 

Já a Thomas Cook assumiu ter 1.700 clientes no resort do Mar Vermelho, que serão  resgatados "oportunamente". Até lá, o operador turístico disponibilizará alojamento grátis aos turistas que viajaram com o operador turístico.

 

Por seu turno, a Monarch Airlines adiantou que está a trabalhar com o Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico para definir o seu plano de evacuação, quanto a British Airways revelou que pretendia adiar apenas por um dia o voo planeado para esta quinta-feira.

 

"A Easyjet mantém contactos próximos com o governo britânico sobre quando poderá retomar os voos e repatriar os turistas", adiantou a porta-voz da empresa citada pela Bloomberg. "Só o faremos quando o governo decidir que é seguro viajar", garantiu a mesma responsável.
Ver comentários
Saber mais Easyjet Thomas Cook Egipto Sinai British Airways
Outras Notícias