Transportes Aumento da procura da Medlog disparou com greve dos estivadores

Aumento da procura da Medlog disparou com greve dos estivadores

Carlos Vasconcelos, presidente da empresa que resultou do rebranding da CP Carga, diz que o esforço excepcional a que a situação no porto de Lisboa está a obrigar não é saudável.
Aumento da procura da Medlog disparou com greve dos estivadores
Bruno Simão
Maria João Babo 16 de maio de 2016 às 14:49

O presidente da Medlog, Carlos Vasconcelos, adiantou esta segunda-feira, na apresentação da nova marca e da estratégia da antiga CP Carga, que dada a situação no porto de Lisboa, com a greve dos estivadores, "a procura de transporte contentorizado disparou" e que a empresa que presta transporte ferroviário, "pelos meios que tem, não consegue corresponder à procura tão depressa como a procura gostaria".

Carlos Vasconcelos revelou que a empresa, adquirida pela MSC em Janeiro deste ano, tem estado "a fazer comboios adicionais que não estavam previstos, precisamente para poder responder ao aumento significativo da procura".

Apesar de não ter dados para quantificar o aumento da procura sentido pela Medlog devido à greve no porto de Lisboa, Carlos Vasconcelos garantiu tratar-se de um acréscimo "significativo".

Em sua opinião, contudo, a situação está a causar ao operador ferroviário em termos de serviço uma pressão adicional, o que obriga "a um esforço excepcional", o qual "não é saudável", disse.

"Ter uma actividade que momentaneamente está num pico não é bom porque quando o assunto estiver resolvido isso desaparece e ficamos numa situação de ter de nos adaptar outra vez ao fluxo normal", explicou, garantindo que a empresa não beneficia com isso.

O responsável explicou que se no caso dos camiões é possível aumentar a oferta de um momento para o outro, no caso de vagões e locomotivas "existem os que existem e é com esses que temos de trabalhar", já que "não existe material para alugar" e "tendo em conta o tempo que leva a adaptar material ou homologar, a situação pontual com a procura já teria acabado".

Os estivadores do porto de Lisboa estão em greve desde 20 de Abril, tendo o sindicato entregue já pré-avisos até ao dia 16 de Junho.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI