Transportes Bruxelas quer regulador dos transportes com mais pessoal

Bruxelas quer regulador dos transportes com mais pessoal

A Comissão Europeia diz que o actual quadro de pessoal da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes é demasiado pequeno para as tarefas atribuídas.
Bruxelas quer regulador dos transportes com mais pessoal
Miguel Baltazar
Maria João Babo 18 de abril de 2016 às 16:59

A Comissão Europeia sublinha no relatório da terceira avaliação pós-programa da troika a necessidade de a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) ter um número de pessoal adequado de forma a poder garantir o melhor desempenho do mercado.

A lei que criou a AMT, entidade que assumiu as funções de regulação dos diferentes modos de transporte à excepção do aéreo, é de 2014. No entanto, para Bruxelas, "o pessoal existente é demasiado pequeno para lidar eficazmente com todas as tarefas atribuídas à AMT e alguns passos administrativos ainda estão em falta".

"Acelerar este processo é necessário para garantir que a AMT possa cumprir o seu papel de regulador na íntegra", frisa a Comissão.

No final de Março passado, num encontro com jornalistas para apresentar o plano de actividades para 2016, o presidente da AMT, João Carvalho (na foto) explicou que o regulador conta com cerca de 20 quadros, mas garantiu que irá ter mais de 80 colaboradores.

Segundo disse, estão a decorrer concursos para a entrada de mais 31 pessoas, o que deverá concretizar-se até ao final deste mês de Abril, prevendo o responsável que esta autoridade de regulação económica independente esteja "em velocidade de cruzeiro até ao final deste ano".

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI