Transportes CP melhora resultados operacionais mas mantém prejuízo

CP melhora resultados operacionais mas mantém prejuízo

Empresa aponta o dedo às greves na redução de passageiros em 2012.
CP melhora resultados operacionais mas mantém prejuízo
Alexandra Noronha 06 de fevereiro de 2013 às 15:51

A CP melhorou os resultados operacionais em 40% em 2012 mas atingiu prejuízos de 222,5 milhões de euros, segundo adiantou a transportadora em comunicado. “A função financeira, derivada de um passivo histórico, foi assegurada pontualmente por suporte accionista e da banca portuguesa. O custo dessa dívida afectou o resultado líquido, que, apesar da melhoria de 66,5 milhões de euros continuou negativo em 222,5 milhões de euros”.

 

A empresa realçou, no entanto, que a melhoria de 40% nos resultados operacionais foi “decorrente da conjugação das medidas de ajustamento de tarifas e redução de custos. Na redução de custos, salientamos a redução de custos com pessoal por redução dos efectivos e por reduções salariais decretadas ao nível nacional. Também em fornecimentos e serviços externos reduzimos expressivamente os gastos. No entanto, essa redução não é visível a nível global pelo efeito contrário decorrente do aumento de preços da energia para tracção e da tarifa de acesso à infra-estrutura”, explicou a CP.

 

A empresa foi prejudicada pela descida dos passageiros, apesar do aumento generalizado dos preços dos títulos entre 2011 e 2012. “Os proveitos do tráfego de cerca de 211 milhões de euros ficaram ligeiramente abaixo dos alcançados em 2011 (de cerca de 212 milhões de euros) em consequência da perda de 11,4% de passageiros, à semelhança do que se verificou noutros operadores de transporte público”.

 

A transportadora apontou o dedo aos sindicatos nestes resultados. “Para a perda de passageiros transportados não foi alheio o elevado número de greves que ocorreram durante todo o ano, com especial significado no último trimestre. Durante o ano de 2012 foram suprimidos, por motivos de greve, 30.445 comboios representando 7% dos comboios programados”.

 

O EBITDA foi positivo em 45,6 milhões de euros, mais 6,2 milhões do que no ano anterior. “Este resultado permitiu que a CP assegurasse, com meios próprios, todas as suas necessidades de tesouraria corrente, incluindo o financiamento dos investimentos e manutenção plurianual da frota, bem como o pagamento das rescisões de contratos de trabalho”, disse a transportadora.




Marketing Automation certified by E-GOI