Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo confirma nomeação de Rui Loureiro como presidente da Refer (act)

O até aqui administrador do Instituto de Soldadura e Qualidade vai integrar a presidência da gestora da rede ferroviária nacional. Mais quatro nomes vão integrar o conselho de administração.

  • Partilhar artigo
  • 8
  • ...
O nome de Rui Lopes Loureiro foi confirmado como o novo presidente do conselho de administração da Refer, tal como o Negócios avançou na sua edição de hoje.

Na conferência de imprensa após a reunião do conselho de ministros, o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Luís Marques Guedes, indicou que o Governo já designou o novo conselho de administração da Refer, que conta com Rui Loureiro como presidente.

Rui Loureiro vai abandonar o cargo de administrador do Instituto de Soldadura e Qualidade, em Luanda, para liderar um conselho de administração que conta com mais quatro nomes: Alberto Diogo, José Rui Roque, Ribeiro dos Santos e Amílcar Monteiro.

Os novos administradores da Refer têm percursos diversificados. Alberto Manuel de Almeida Diogo é licenciado em Organização e Gestão de Empresas pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa e já era quadro da Refer. Já José Rui Roque, licenciado em Gestão e Administração de Empresas pela Católica, com uma pós-graduação em Ciências Europeias, era até agora Especialista na Direcção de Sistemas de Informação da RTP. José Luís Ribeiro dos Santos tem um licenciatura em Engenharia Civil e era Administrador da Ideias Intemporais Consultores, tendo já passado pelo grupo Lena e pela RAVE. Amílcar Álvaro de Oliveira Ferreira Monteiro, também com uma licenciatura em Engenharia Civil, pelo Instituto Superior Técnico, trabalhava como assessor do Conselho de Administração da Ferconsult, participada do Metro de Lisboa.

Novo conselho de administração aprovado por comissão de recrutamento


O novo conselho de administração foi designado depois de aprovado pela Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública (CRESAP).

O novo líder da gestora de infra-estruturas irá ocupar o lugar deixado vago já há alguns meses por Luís Pardal, que abandonou a presidência da Refer.

Com 61 anos, Rui Lopes Loureiro é licenciado em Engenharia Electrotécnica, Telecomunicações e Electrónica pelo Instituto Superior Técnico. Detém ainda um mestrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores na mesma instituição de ensino.

O responsável foi entre Fevereiro de 2007 e Junho de 2010 director de projectos industriais na empresa EGD – Engenharia, Gestão e Desenvolvimento. Antes tinha passado pela SIREME – Sociedade Industrial de Reparações e Manutenção de Equipamentos, onde foi director-geral.

Rui Lopes Loureiro esteve também vários anos ligado aos transportes, na multinacional Bombardier, onde ocupou o cargo de director dos Serviços Técnicos na Bombardier Transportation Portugal e de director nacional da unidade de negócio de produção de metros pesados da empresa.

O responsável passou ainda pela ADtranz - ABB Daimler-Benz Transportation, e esteve muitos anos na Sorefame, para onde entrou em 1973 e ficou até 1990.

Rui Lopes Loureiro assume a liderança da Refer numa altura complicada em que a empresa está obrigada a levar a cabo cortes em custos operacionais e salários para atingir as metas impostas pela troika e pela tutela. A empresa apresenta uma dívida elevada, contraída com o aval do Estado, para levar a cabo investimentos na infra-estrutura ferroviária um pouco por todo o País.

A empresa devia, no final de 2011, 4,8 mil milhões de euros a instituições de crédito, segundo o relatório e contas da gestora da infra-estrutura ferroviária, que usou estas verbas para financiar projectos de investimento que levou a cabo nos últimos anos.

A Refer, que agravou os prejuízos para 164 milhões de euros, tem menos possibilidade de obter receitas do que a CP, visto que apenas cobra a taxa de uso aos operadores ferroviários que circulam nos caminhos-de-ferro portugueses.

A empresa foi obrigada a recorrer à banca e aos mercados internacionais, o que acabou por deteriorar a sua situação. O Estado assume que faz parte das suas responsabilidades assegurar que a empresa obtém financiamento.

(actualiza com currículo dos novos administradores)
Ver comentários
Saber mais Rui Lopes Loureiro Refer Instituto de Soldadura e Qualidade
Outras Notícias