Transportes Oeste e Área Metropolitana de Lisboa vão ter passe único inter-regional

Oeste e Área Metropolitana de Lisboa vão ter passe único inter-regional

"Chegámos a um entendimento político para se criar uma solução de redução tarifária paras as deslocações inter-regionais e a AML disponibilizou 200 mil euros para o efeito", confirmou à Lusa Carlos Humberto, secretário da AML.
Oeste e Área Metropolitana de Lisboa vão ter passe único inter-regional
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 01 de outubro de 2019 às 13:38

A Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa (AML) fecharam um acordo para a criação de um passe único inter-regional, estando a terminar a operacionalização do processo, disseram hoje à Lusa fontes das duas entidades.

 

OesteCim e AML mantêm, contudo, negociações para operacionalizar o processo do novo título, estando por definir o custo que vai ter e a sua entrada em vigor.

 

Paulo Simões, secretário da Comunidade Intermunicipal do Oeste (OesteCim), disse à agência Lusa que as duas entidades vão avançar com a criação do passe inter-regional, na sequência de uma recomendação da Assembleia da República no sentido de dotar o Plano de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes (PARTT) de mais verbas para ligações inter-regionais.

 

Entre as duas regiões, havia "casos de pessoas que estavam a ser autuadas por terem dois passes [para reduzirem os custos nos transportes] e tem de haver um passe único, que seja comparticipado para compensarmos as operadoras por essa perda" de lucros.

 

"Chegámos a um entendimento político para se criar uma solução de redução tarifária paras as deslocações inter-regionais e a AML disponibilizou 200 mil euros para o efeito", confirmou à Lusa Carlos Humberto, secretário da AML.

 

Pelo lado da OesteCim, o passe único inter-regional vai abranger percursos não diretos, isto é, com várias paragens durante o trajeto, quer numa região, quer noutra, por não haver maior disponibilidade financeira.

 

Carlos Humberto esclareceu que os 200 mil euros foram disponibilizados para as ligações inter-regionais, cabendo à OesteCim decidir se o novo título vai abranger carreiras diretas ou não. "Não temos nada contra as diretas", sublinhou.

 

Com o acordo, as duas autoridades de transportes têm como objetivos promover a igualdade de oportunidades entre os cidadãos e a coesão territorial.

 

Vários concelhos da região Oeste estão à mesma distância ou até mais perto da capital do que alguns da Área Metropolitana de Lisboa.

 

Em abril, com a entrada em vigor dos novos títulos de transportes, a OesteCim passou a financiar um desconto de 30% nos passes das ligações rodoviárias inter-regionais.

 

Só os transportes inter-regionais para Lisboa são utilizados por cerca de cinco mil utentes.

 

Entre os concelhos do Oeste do distrito de Lisboa, o passe de Arruda dos Vinhos para Lisboa, nas ligações diretas, tinha um custo total de 138 euros, subindo para 160 a partir de Alenquer e Sobral de Monte Agraço, de 166 de Torres Vedras e de 183 na Lourinhã.

 

A estes valores passou a ser aplicado um desconto de 30% desde o mês de abril, baixando para 97 euros em Arruda dos Vinhos, 112 euros em Alenquer e Sobral de Monte Agraço, 116 euros em Torres Vedras e 128 euros na Lourinhã.

 

A OesteCim integra os municípios de Alenquer, Arruda dos Vinhos, Cadaval, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras (distrito de Lisboa) e Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Óbidos, Nazaré, Peniche (distrito de Leiria).

 

A AML é composta pelos municípios de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI