Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Passageiros do Cais do Sodré dizem que usaram os transportes públicos sem problemas

O terminal de transportes do Cais do Sodré, em Lisboa, estava hoje de manhã, dia de greve geral, com menos passageiros do que o habitual, mas com as pessoas a dizerem que usaram os transportes disponíveis sem problemas.

Lusa 14 de Novembro de 2012 às 09:34
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
Cerca das 08:00, as bilheteiras dos comboios estavam fechadas, mas estava a funcionar uma na estação dos barcos para a margem sul.

O café e a tabacaria também estavam encerrados e nos painéis de informação podia ler-se o aviso "greve perturbações".

A entrada do metro estava encerrada, por "motivos de greve", segundo informação disponibilizada num cartaz na porta da estação.

Vários passageiros disseram à agência Lusa que se informaram dos horários dos serviços mínimos e que estavam preparados para a situação provocada pela greve geral convocada pela CGTP.

Lídia Mesquita, de Almada, empresada doméstica, contou que saiu de casa cerca das 06:00, "mais cedo do que o costume", para chegar à Malveira da Serra.

O percurso demora habitualmente duas horas, utilizando barco, comboio e autocarro, mas hoje, dia da greve geral, espera necessitar de cerca de quatro horas.

"Avisei o patrão e não há problema", disse.

Fouzia Senhaji, administrativa, que trabalha na zona do Cais do Sodré, disse à Lusa que viajou de Cascais até Lisboa, "sem problema e no horário habitual".

Palmira Lourenço, empregada doméstica, referiu que consultou os horários e que chegou ao Cais de Sodré de autocarro, "que estava mais vazio do que o habitual", para apanhar um comboio para Cascais, onde trabalha.

Espera "demorar hoje uma hora e meia", num trajecto que costuma fazer habitualmente em 45 minutos.

Tiago Evangelista, informático, disse que apanhou um barco "sem problemas" e no horário habitual, mas espera demoras no fim do dia, quando regressar a Almada.

No largo em frente à estação, via-se uma fila com algumas dezenas de pessoas que aguardavam os autocarros da Carris e uma funcionária pública, que pediu para não ser identificada, disse à Lusa que viajou da margem sul de barco "mais tarde do que o habitual".

Admitiu que vai chegar "um pouco atrasada ao serviço", mas que não haverá problema.

A mesma funcionária pública disse que não pensou fazer greve porque não concorda com "greves que mostram poucos resultados".

Ver comentários
Saber mais Cais do Sodré passageiros greve transportes públicos
Outras Notícias