Transportes Pedro Nuno Santos: “Não posso garantir que no fim de 2023 está tudo feito no Ferrovia 2020”

Pedro Nuno Santos: “Não posso garantir que no fim de 2023 está tudo feito no Ferrovia 2020”

O ministro das Infraestruturas diz que tudo está a ser feito para concluir os projetos previstos no plano de investimento na ferrovia até ao final de 2023, mas escusou-se a garantir que tudo será executado dentro do prazo para que Portugal não perca fundos comunitários.
Pedro Nuno Santos: “Não posso garantir que no fim de 2023 está tudo feito no Ferrovia 2020”
Lusa
Maria João Babo 19 de fevereiro de 2020 às 11:54

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, assumiu esta quarta-feira no Parlamento que "por razões de honestidade não consigo dizer que em 2023 vai estar tudo feito" do programa Ferrovia 2020.

"Estamos a trabalhar para cumprir os prazos", disse, lembrando que o prazo determinante deste programa de investimento é o final de 2023, altura em que os fundos comunitários têm de ser executados.

Pedro Nuno Santos escusou-se a falar de percentagens de execução do programa, lançado em 2016 e com um valor de investimento de 2 mil milhões de euros, por considerar que tendo em conta as fases do investimento público é sempre possível "escolhermos a percentagem que dê mais jeito".

"Não posso garantir que haverá 100% de execução até 2023. Nós estamos a identificar problemas e constrangimentos para que estejam concluídas em dezembro de 2023, mas temos de ter cautela com o compromissos que assumimos porque podem sair furados", afirmou ainda o ministro salientando não conseguir dar garantias porque "não controlo todas as fases".

O governante voltou a desmentir que alguma obra do Ferrovia 2020 tenha sido suspensa. "Há atrasos, estão reconhecidos, mas não há nenhuma obra suspensa", frisou.

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI