Transportes Rival francesa da Uber admite entrar em Portugal em 2019

Rival francesa da Uber admite entrar em Portugal em 2019

A Chauffeur Privé, empresa privada de transporte de passageiros semelhante à Uber, planeia expandir as suas operações para fora de França e Portugal é um dos países que considera “interessante”. A expansão deverá ocorrer “nos próximos 18 meses”.
Rival francesa da Uber admite entrar em Portugal em 2019
D.R.
Pedro Curvelo 10 de junho de 2018 às 10:00

A Chauffeur Privé, empresa privada de transporte de passageiros semelhante à Uber, planeia expandir as suas operações para fora de França e Portugal é um dos países que considera "interessante". A expansão deverá ocorrer "nos próximos 18 meses", indicou ao Negócios uma fonte próxima do processo.

A empresa francesa, que é detida maioritariamente pela alemã Daimler, casa-mãe da Mercedes-Benz, opera actualmente em Paris, Lyon e na Côte d’ Azur. Contactada pelo Negócios, fonte oficial da Daimler confirma que existem planos de alargar as operações da Chauffeur Privé a outros mercados na Europa e que "Lisboa é uma das cidades que está a ser considerada".

No site da empresa francesa existem neste momento quatro ofertas de emprego para Lisboa, incluindo os cargos de director-geral, director de marketing, responsável de operações e especialista em operações.

Apesar destas ofertas de emprego, fonte próxima do processo refere que o recrutamento é "demorado e complexo", pelo que é "precipitado" assumir que Lisboa contará com os serviços da empresa no curto prazo. No entanto, as vagas em Lisboa são as únicas que surgem no site da empresa relativamente a empregos fora de França.

A mesma fonte assinala que "Portugal é um país interessante, tal como outros" e que, embora Lisboa seja uma cidade "atractiva", a Chauffeur Privé não descarta operar no mercado português noutras regiões, nomeadamente na cidade do Porto ou no Algarve.

A Chauffeur Privé foi fundada em 2012 e opera principalmente na região de Paris, contando com um total de mais de 18 mil motoristas na capital francesa, e transportou cerca de um milhão e meio de clientes desde o arranque das operações, em Março de 2012.

Um dos factores diferenciadores face aos concorrentes é o facto de a tarifa paga pelo cliente ser acordada no início do trajecto, independentemente do itinerário seguido ou do tempo da viagem. A Chauffeur Privé tem também um programa de fidelização de clientes, oferecendo viagens gratuitas aos utilizadores frequentes.

O forte crescimento da Chauffeur Privé levou a Daimler a adquirir uma posição maioritária na empresa no final de 2017, tendo ficado acordado que a empresa alemã iria reforçar progressivamente a sua participação até deter a totalidade do capital, previsivelmente em 2019. A Daimler tem investido em soluções de mobilidade urbana, detendo participações na MyTaxi, Chauffeur Privé e Taxify.

O Parlamento português votará a 12 de Julho a regulamentação do sector de transporte de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma electrónica (TVDE), após o veto do Presidente da República, em finais de Abril, ao decreto aprovado pelos deputados a 23 de Março.

Actualmente, existem em Portugal três operadores de TVDE: a Uber, Cabify e Taxify.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI