Transportes Tráfego nas auto-estradas da Brisa dá sinais de recuperação

Tráfego nas auto-estradas da Brisa dá sinais de recuperação

Receitas de portagem da BCR registaram um decréscimo de 2,7% no terceiro trimestre, depois de terem recuado 5,5% em Junho e 8,6% em Março último.
Tráfego nas auto-estradas da Brisa dá sinais de recuperação
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 30 de outubro de 2013 às 16:46

A circulação nas auto-estradas que integram  a concessão principal da Brisa não sofreu qualquer variação em Setembro, face ao mesmo mês de 2012, tendo em Agosto o número de veículos por quilómetro registado uma subida, em termos homólogos, de 2,1%.

 

Em termos de tráfego médio diário, em Setembro foram mais sete os veículos que circularam nas 11 auto-estradas geridas pela Brisa Concessão Rodoviária (BCR) e em Agosto mais 451.

 

De acordo com os dados de tráfego divulgados esta quarta-feira pela BCR, o tráfego médio acumulado no terceiro trimestre deste ano decresceu, em termos homólogos, 4,1%, quando no final de Junho a quebra rondava os 6,3% e nos primeiros três meses do ano ter atingido os 8,8%. No final do ano passado, o tráfego médio diário na concessão principal da Brisa apresentava uma redução de 14%.

 

Em termos de receitas de portagem, o decréscimo registado no final de Setembro era de 2,7%, o que revela a manutenção da tendência de abrandamento da quebra verificada nos últimos 12 meses. No final de Junho passado, as receitas de portagem caíram 5,5% e no final de Março último 8,6%. 

 

Por auto-estrada, A4 e a A5 são as que apresentaram maior recuperação, sendo as quebras de 0,1% e 2,7%, respectivamente.

 

Em sentido contrário, o tráfego médio diário na A9  regista ainda uma variação negativa de 9,5%, seguindo-se a A10, de 7,7%.

 

A A1 apresentava no final do terceiro trimestre um recuo de 4%  em ternos homólogos, enquanto na A2 era de 4,7%. 




Marketing Automation certified by E-GOI