Turismo & Lazer Carris suspende no fim do Verão eléctrico turístico com bilhete de 6 euros

Carris suspende no fim do Verão eléctrico turístico com bilhete de 6 euros

O blogue O Corvo noticiou que o serviço turístico que liga o Camões ao Príncipe Real, iniciado em Maio, foi suspenso. A empresa diz que se trata de uma "oferta sazonal" e que vai voltar em 2016. Desconhece-se o investimento feito no trajecto.
Carris suspende no fim do Verão eléctrico turístico com bilhete de 6 euros
Diogo Cavaleiro 07 de outubro de 2015 às 18:01

A 28 de Maio, a empresa de serviços turísticos Carristur colocou em circulação um eléctrico revestido a cortiça. O trajecto estendia-se por cerca de um quilómetro, entre o Largo do Camões e o Príncipe Real, em Lisboa, e custava 6 euros a turistas, com desconto de 3 euros para crianças. Não permitia o uso dos passes. A 7 de Outubro, quatro meses depois, foi noticiada – e confirmada – a suspensão da circulação. Mas não se conhecem as despesas e receitas do serviço. 

 

"O Chiado Tram Tour, sendo especialmente destinado aos turistas, é uma oferta sazonal, pelo que a suspensão de actividade deste circuito, bem como outros circuitos, é natural nos meses de menor procura turística", indicou, em resposta ao Negócios, a assessoria de imprensa da Transportes de Lisboa, depois de contactada por conta da notícia do blogue O Corvo, que deu conta da suspensão do serviço. Não se sabe que outros circuitos são também suspensos nesta época.

Segundo a empresa - que agrega a Carris (detentora, na totalidade, da Carristur), o Metro e a Transtejo -, o Chiado Tram Tour funciona, anualmente, entre Abril e Setembro. Um aviso que não foi dado aquando do lançamento do serviço. Na altura, foi dito que o bilhete da viagem, com duração de 24 horas, custava 6 euros (3 para crianças). O bilhete tinha validade de 24 horas mas a circulação do eléctrico acontecia apenas entre as 11h00 e as 16h00.

 

A suspensão da circulação do eléctrico neste trajecto acontece, diz a Carristur, pela "menor actividade", o que é aproveitado para "proceder à manutenção dos veículos e garantir as suas características". "Após este período de manutenção, os eléctricos de cortiça (utilizados neste circuito) serão afectos a outros circuitos turísticos, nomeadamente ao circuito Castle Tram Tour, bem como ao serviço de alugueres pontuais". O Castle Tram Tour custa 10 euros (5 para criança) e não foi suspenso com o final do Verão.

 

Não foi possível saber qual a procura que foi obtida pelo eléctrico. A Transportes de Lisboa também não respondeu qual foi o investimento necessário para que o transporte pudesse ter sido lançado, já que, no trajecto em questão não circulava nenhum eléctrico há cerca de duas décadas.

 

Intenção é voltar com circuito alargado

Apesar do investimento que teve de ser feito, não deverão circular no percurso de cerca de 1 quilómetro eléctricos até Maio. Só aí é que a Carristur pretende voltar a retomar o Chiado Tram Tour. "Para a temporada 2016, é nossa intenção alargar o circuito ao Largo do Carmo e fazer ligação à Praça da Figueira", assinala a Transportes de Lisboa.

 

"Os eléctricos históricos são um património único da nossa cidade que queremos e continuamos a valorizar através da oferta, da reabilitação de veículos e através promoção da experiência, como um marco diferenciador do turismo da capital", termina a mesma fonte.

A Carristur é uma empresa da Carris que esteve no leque de privatizações do Governo, embora tal tenha acabado por não concretizar-se. 




Marketing Automation certified by E-GOI