Turismo & Lazer Portugueses são metade dos hóspedes do Polana Serena Hotel

Portugueses são metade dos hóspedes do Polana Serena Hotel

A histórica unidade hoteleira de Maputo está a promover a sua nova oferta em Portugal. Um dos objectivos passa por converter parte do perfil empresarial em clientes de lazer.
Portugueses são metade dos hóspedes do Polana Serena Hotel
Bruno Simão/Negócios
Wilson Ledo 14 de março de 2017 às 12:40

Os portugueses representam metade dos hóspedes do Polana Serena Hotel, reconhecida unidade em Maputo.

Com 95 anos de história, o hotel moçambicano está a promover-se esta semana na capital portuguesa, onde arrancará a BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa esta quarta-feira, 15 de Março.


Um dos objectivos é promover um novo produto, o Polana Mar, depois de uma renovação avaliada em quatro milhões de dólares (3,76 milhões de euros). As obras estarão prontas em Abril.


"Estamos a tentar captar mais lazer. Há aqui uma oportunidade porque há muitos portugueses que estão emocionalmente ligados a Moçambique e até ao Polana", explicou ao Negócios o director-geral Miguel Afonso dos Santos (na foto).


O responsável acredita que "não há falta de ligações aéreas" para Maputo mas reconhece que a "oferta moçambicana torna-se um bocadinho dispendiosa" em comparação com outros destinos africanos.


Nesta fase, os clientes de negócios são a maioria. "Gostávamos de reverter, que as pessoas fossem a Maputo para conhecê-la como cidade. Normalmente associam Maputo a negócios, as férias passam-nas em ilhas", remata Maria de Vasconcelos, responsável de marketing do Polana.


Aprovado está já um novo projecto, o Polana Villas. Com vista para o mar, esta nova etapa deverá ver as obras arrancar em 2018 e abrir um ano depois.


Ao todo, o Polana Serena Hotel - incluindo o Polana Mar e o Polana Villas – assistirá a um investimento de nove milhões de dólares (8,46 milhões de euros) em construção e renovações. Isto depois de obras de remodelação avaliadas em 25 milhões de dólares (23,51 milhões de euros) em 2011.


Para o plano de expansão da marca em Moçambique, Miguel Afonso dos Santos revela que gostaria de "ter algo que conseguisse combinar praias e animais".


O Polana Serena Hotel integra o grupo Serena, com unidades no Quénia, Tanzânia, Zanzibar, Uganda, Ruanda, Moçambique, Afeganistão, Paquistão e Tajiquistão. O seu maior accionista é o Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico.


Já para Portugal, não há planos para instalar hotéis desta cadeia. "Não é o objectivo mas poderá haver essa possibilidade, tendo em conta que a Rede de Desenvolvimento Aga Khan vai instalar cá a sua sede", prevê o responsável.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI