Turismo & Lazer Quebra no jogo leva Estoril-Sol para prejuízos

Quebra no jogo leva Estoril-Sol para prejuízos

A empresa que gere o Casino do Estoril fechou os primeiros nove meses do ano com prejuízos de 1 milhão de euros, um desempenho que a Estoril-Sol justifica com a redução da actividade no sector do jogo e com os elevados impostos.
Quebra no jogo leva Estoril-Sol para prejuízos
Correio da Manhã
Negócios 28 de novembro de 2014 às 18:10

A Estoril-Sol fechou os primeiros nove meses do ano com prejuízos de 1 milhão de euros, o que compara com lucros de 1,25 milhões de euros no mesmo período do ano passado.

 

No relatório de gestão do terceiro trimestre, publicado na CMVM, a Estoril-Sol diz que "esta performance resulta essencialmente da queda continuada das receitas de jogo ocorrida no período e perversamente da subida da carga fiscal que incide sobre estas mesmas receitas".

 

As receitas de jogo geradas pelo Grupo Estoril-Sol desceram 4,6% para 125,3 milhões de euros, uma queda mais forte do que a registada no sector (3,1%).

 

"As políticas macroeconómicas de austeridade e de ajustamento financeiro, às quais acrescem os níveis elevados e desadequados face à conjuntura actual da fiscalidade específica da actividade de Jogo nos Casinos Portugueses, têm condicionado fortemente a actividade operacional dos Casinos portugueses e em particular do Grupo Estoril-Sol", acrescenta a empresa.

 

Nos primeiros nove meses do ano a Estoril Sol pagou 45 milhões de euros em impostos, acima dos 38,5 milhões de euros do período homólogo. "A taxa efectiva de imposto suportada pelo Grupo passou de 53% para 54% sobre as receitas de jogo geradas", o que representa uma "situação incompreensível que atinge praticamente todas as concessões de jogo existentes em Portugal".

 

Nas outras actividades extra-jogo, o Grupo Estoril-Sol obteve receitas de 5 milhões de euros, num crescimento de 25%.




Marketing Automation certified by E-GOI