Turismo & Lazer Revive: Forte da Ínsua ajudicado à DiverLanhoso para ser alojamento turístico

Revive: Forte da Ínsua ajudicado à DiverLanhoso para ser alojamento turístico

A DiverLanhoso, empresa que explora um parque de aventura perto da Póvoa de Lanhoso, venceu o concurso do programa Revive para a concessão do Forte da Ínsua, no concelho de Caminha, que será explorado para alojamento turístico.
Pedro Curvelo 14 de fevereiro de 2020 às 20:03

A DiverLanhoso, empresa que explora um parque de aventura perto da Póvoa de Lanhoso, venceu o concurso do programa Revive para a concessão do Forte da Ínsua, no concelho de Caminha, que será explorado para alojamento turístico, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Economia e da Transição Digital.

O forte, com a forma de uma estrela irregular, encontrava-se "em avançado estado de degradação" e vai ser recuperado com investimento estimado em 3,7 milhões de euros, indicou ao Negócios fonte oficial da tutela.

A concessão vigora por 50 anos e a renda anual a pagar pela DiverLanhoso é de 1.001 euros, 100 vezes o valor mínimo de renda anual fixado no concurso, que era de apenas dez euros.

O forte será transformado num "estabelecimento de hospedagem de qualidade elevada e será dinamizado "através do desenvolvimento de várias atividades de animação cultural", acrescenta o ministério.

Mais de 118 milhões de investimento

Este é o 14.º imóvel a ser adjudicado no âmbito do Revive, programa que soma já um total de 118,2 milhões de euros de investimento na recuperação de património público degradado e aproximadamente 2,4 milhões de euros em rendas anuais.

O programa integra atualmente, um total de 49 imóveis, encontrando-se abertos os concursos para a concessão do Forte da Barra de Aveiro, situado no concelho de Ílhavo, do Palacete dos Condes Dias Garcia, em S. João da Madeira, e Quinta do Paço de Valverde, em Évora.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI