Turismo & Lazer Secretária de Estado do Turismo quer "sistema fiscal mais justo" para potenciar investimento

Secretária de Estado do Turismo quer "sistema fiscal mais justo" para potenciar investimento

Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, reconhece que as empresas "agudizam a nível fiscal"
Secretária de Estado do Turismo quer "sistema fiscal mais justo" para potenciar investimento
Rita Marques, secretária de Estado do Turismo.
Rafaela Burd Relvas 14 de novembro de 2019 às 19:17
A secretária de Estado do Turismo defende ser necessário um "sistema fiscal mais justo" para "potenciar maior investimento" no setor. Esse objetivo será "agarrado com toda a assertividade", garantiu esta quinta-feira, 14 de novembro.

A governante falava na cerimónia de abertura do congresso anual da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e de Turismo (APAVT). Perante uma plateia que reúne alguns dos maiores operadores do setor, a nova secretária de Estado do Turismo frisou o "crescimento muito assinalável" registado até agora, mas reconheceu o abrandamento em algumas regiões e apontou para quatro desafios.

Desde logo, as infraestruturas aeroportuárias, marítimas e rodoviárias, que têm de ser "geridas em três perspetivas": "melhorando as infraestruturas já existentes, capacitando os agentes que gerem estas infraestruturas e gerir de modo a trazer mais hóspedes, trabalhando com operadores aéreos para que tragam mais rotas para Portugal".

Em segundo lugar, a secretária de Estado do Turismo salientou o "esforço" que é necessário para que a estada média em Portugal, atualmente de 2,7 noites, aumente em breve.

O terceiro desafio é a capacidade de investimento, onde entram as melhorias no sistema fiscal. "É mais do que notório que as empresas, nesta altura, agudizam a nível fiscal. O ministro da economia tem referido, insistentemente, a necessidade, devidamente vertida no programa de Governo, de procedermos a um alívio fiscal", começou por dizer sobre este assunto.

"É especialmente importante, quer para as famílias, quer para os empresários, termos um sistema fiscal mais justo, que possa potenciar maior investimento na economia. Não é um desafio só do turismo, é um desafio transversal a toda a economia Mas não quero deixar de referir que este desafio será agarrado com toda a assertividade", acrescentou.

Rita Marques não especificou de que forma quer trazer maior justiça para o sistema fiscal.

O último desafio, concluiu, diz respeito aos recursos humanos. "O turismo é uma economia das vivências, das emoções, é um negócio de e para pessoas", sublinhou.

* A jornalista viajou à Madeira a convite da APAVT.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI