Turismo & Lazer Vão fechar 500 hotéis em Espanha após falência da Thomas Cook

Vão fechar 500 hotéis em Espanha após falência da Thomas Cook

A falência da agência Thomas Cook vai ter um largo impacto em Espanha, avisa um dos responsáveis do setor.
Vão fechar 500 hotéis em Espanha após falência da Thomas Cook
EPA
Negócios 01 de outubro de 2019 às 10:21

O presidente da Confederação Espanhola de Hotéis e Alojamentos Turísticos, Juan Molas, afirma que a falência da Thomas Cook vai ditar o fecho de 500 hotéis em Espanha.
 

"Há 500 hotéis que vão fechar de forma imediata pela quebra da Thomas Cook, e a situação podem piorar caso o Executivo não tome medidas de forma imediata", declarou Molas, em entrevista ao jornal espanhol Cínco Días.

Destes 500 estabelecimentos, 100 dependiam exclusivamente do operador turístico britânico. Já nos restantes 400, o volume de clientes da Thomas Cook oscilava entre os 30 e os 70%.

Os destinos turísticos mais afetados pelo fecho de hotéis serão as Canárias e Baleares, onde 40% do parque hoteleiro será afetado. Segue-se a Costa do Sol, com 20%, e a Catalunha e Comunidade Valenciana, afetadas em 10%.

Em termos de viagens aéreas, o responsável da confederação hoteleira aponta a perda de 1,3 milhões de lugares, uma quebra que prejudica sobretudo os aeroportos de Tenerife e Lanzarote. Para contornar os efeitos negativos, Molas pretende apresentar uma proposta ao Governo na qual defende que se discuta com o CEO da Ryanair, Michael O´Leary, um possível recuo nos planos de cessar a atividade na região da Grande Canaria, uma decisão que devia avançar no próximo dia 8 de janeiro.

Já esta terça-feira, a publicação Expansión anuncia que o grupo suíço LMEY, parceiro da Thomas Cook, deverá comprar a participação do operador tuístico em vários estabelecimentos, de forma a adquirir nove hotéis, cinco deles em Espanha.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI