Turismo & Lazer Vila Galé consegue quase 200 milhões de receitas em 2019

Vila Galé consegue quase 200 milhões de receitas em 2019

O grupo viu as receitas crescerem tanto em Portugal como no Brasil, apesar do abrandamento de alguns dos principais mercados.
Vila Galé consegue quase 200 milhões de receitas em 2019
D.R.
Rafaela Burd Relvas 20 de janeiro de 2020 às 16:30
O grupo Vila Galé alcançou um volume de negócios de 197 milhões de euros no ano passado, uma subida de 7% que fica a dever-se às receitas adicionais arrecadadas com os novos hotéis do grupo.

Os números foram avançados, esta segunda-feira, 20 de janeiro, por Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador do grupo, num encontro com jornalistas. Segundo o responsável, o início do ano passado "assustou" o setor do turismo nacional, já que o volume de reservas estavam "aquém do que era esperado". Contudo, o setor recuperou a partir de julho, compensando os resultados do início de 2019 e ficando quase em linha com o ano anterior.

A Vila Galé acabou, assim, por registar 1,9 milhões de dormidas e 115 milhões de euros em receitas na atividade em Portugal, onde conta com 25 hotéis, valor que fica ligeiramente acima dos 112 milhões de euros registados em 2018.

Excluindo o impacto do Vila Galé Douro Vineyards e do Vila Galé Collection Elvas, as duas unidades inauguradas no ano passado, as receitas teriam ficado em 106 milhões de euros, abaixo do conseguido no ano anterior.

Os portugueses continuaram a representar o maior mercado do grupo, respondendo por 30% do total de dormidas. Seguiram-se os britânicos e alemães, apesar das quebras que têm sido registadas, e os espanhóis e brasileiros, dois mercados em crescimento.

Já no Brasil, onde o grupo conta com nove unidades, registaram-se 1,5 milhões de dormidas e cerca de 82 milhões de euros em receitas, ao câmbio atual, uma subida homóloga de 18%. Brasileiros, argentinos e portugueses representaram a maioria dos hóspedes no Brasil.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI