Web Summit Marcelo: "A política e a lei ficaram para trás" na resposta aos novos desafios

Marcelo: "A política e a lei ficaram para trás" na resposta aos novos desafios

Marcelo Rebelo de Sousa foi o representante do Estado português a ter a última palavra no Web Summit, no qual se encarregou da sessão de encerramento reconhecendo falhas nas instituições.
Ana Batalha Oliveira 07 de novembro de 2019 às 17:22

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, encerrou a edição de 2019 do Web Summit exaltando a centralidade que Lisboa ganhou com o evento para a discussão dos desafios que se impõem no futuro. Contudo, considera que a resposta da lei e da política no que toca à evolução das sociedades não tem sido suficiente.

"A política e a lei ficam para trás na resposta a estes desafios", declarou Marcelo, referindo-se a "desafios do futuro" como a privacidade, concorrência ou as alterações climáticas. "Precisamos de instituições mais fortes, regulação mais forte, uma democracia mais forte", defendeu.

Para Marcelo, "Lisboa tornou-se a cidade e Portugal o país no centro da revolução tecnológica" ao receber o Web Summit. E, além disto, beneficou de uma "ausência de medo de abordar todos os assuntos". Todos e "de uma forma democrática, livre" e através de representantes de todas as partes do globo.

Entre os grandes nomes que trouxeram os grandes temas ao Web Summit – nesta, e noutras edições -, Marcelo referiu o português António Guterres, o responsável da Comissão Europeia pela negociação do Brexit, Michel Barnier, a comissária europeia Margrethe Vestagere o cientista Stephen Hawkings.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI