Análise Técnica IMF – Libra atingiu máximos de cerca de uma semana face ao euro

IMF – Libra atingiu máximos de cerca de uma semana face ao euro

Eur/Gbp recua após rejeição de moção de censura a Theresa May ; Draghi ligeiramente dovish e abrandamento do setor privado leva euro a recuar; Petróleo pressionado por sinais de desaceleração da China; Ouro em mínimos de 10 dias após fortalecimento do dólar.
IMF – Libra atingiu máximos de cerca de uma semana face ao euro

Eur/Gbp recua após rejeição de moção de censura a Theresa May

O Eur/Gbp recuou para valores abaixo de £0.90, após a moção de censura contra si ter sido rejeitada (117 a favor e 200 votos contra). May afirmou que "a possibilidade de uma mudança na liderança do Partido Conservador iria colocar o futuro do país em risco e criar incerteza na pior altura possível" e indicou que não se irá recandidatar nas eleições de 2022. Os riscos de um hard Brexit diminuíram, mas ainda não é certo como será possível aprovar um acordo no Parlamento. Theresa May saiu de Bruxelas sem quaisquer garantias adicionais por parte dos seus homólogos. A economia britânica perdeu velocidade entre agosto e outubro, refletindo o menor número nas vendas de automóveis e a interrupções de produção nas fábricas devido a uma procura mais fraca e que os grupos empresariais vêm como uma das consequências do Brexit. O crescimento do PIB abrandou para os 0.4%, em comparação com os 0.6% registados no 3ºT deste ano. Quanto à produção industrial, os dados revelaram que esta registou a maior queda desde março de 2016 (-0.6% vs +0.1% previstos m/m em outubro).

A nível técnico, o par testou a resistência dos £0.90, tendo recuado após entrar em níveis overbought no RSI de 14 períodos. O MACD continua a dar um sinal de compra, pelo que será possível novo teste à barreira mencionada anteriormente, não sendo provável um breakout da mesma.




Draghi ligeiramente dovish e abrandamento do setor privado leva euro a recuar

No início da última semana uma sondagem indicava a possibilidade de o fim do programa de compra de ativos do BCE ser adiado, devido às turbulências no mercado e ao abrandamento global. Contudo, na última quinta-feira o BCE anunciou formalmente o final do programa. Draghi reviu em baixa as previsões de crescimento para 2018 e 2019 e da inflação para 2019, e indicou que o equilíbrio dos riscos entrou para o lado negativo. A expansão do setor privado alemão abrandou para mínimos de quatro anos e levou o Eur/Usd, que já seguia pressionado, a recuar para níveis ainda mais baixos.

Tecnicamente, o Eur/Usd poderá não ter resistido à pressão bearish imposta pela tendência descendente registada nos últimos três meses e acabou por voltar aos $1.13, estando neste momento a ameaçar afastar esse nível em baixa. Contudo, existe uma pequena possibilidade de o par estar somente em consolidação, podendo quebrar e afastar o canal descendente lateralizando.



Petróleo pressionado por sinais de desaceleração da China

O petróleo tem sido pressionado pelos receios de abrandamento económico e contínuo aumento da produção americana. Os sinais de desaceleração da economia chinesa, a maior importadora mundial de petróleo, fazem antever uma menor procura. Estes receios têm limitado os avanços, apesar do alívio das tensões entre as duas maiores economias mundiais e do recuo dos inventários norte-americanos.

Tecnicamente, o crude encontrou suporte na zona dos $49.30 e acabou por ressaltar e atingir os 55$. Até momento, o crude continua a adotar uma perspetiva de consolidação entre $50-$55 à medida que vai libertando pressão bearish, devido às quedas registadas nos últimos dois meses. O MACD iniciou um sinal de compra o que poderá levar o crude a quebrar os $55.



Ouro em mínimos de 10 dias após fortalecimento do dólar

A cotação do ouro atingiu mínimos de 10 dias após o fortalecimento do dólar face às principais moedas a nível mundial, a poucos dias da decisão de taxas de juro por parte da Reserva Federal dos EUA. Os receios provenientes do abrandamento económico da China levaram o mercado a procurar mais dólares, levando consequentemente à queda da cotação do metal precioso.

A nível técnico, o metal precioso recuou para valores abaixo do nível de retração fibonacci dos 38.2% perto da resistência dos $1240. O MACD encontra-se em convergência o que poderá ditar uma inversão da tendência positiva. Caso isso suceda, o ouro poderá vir a testar o limite inferior do canal ascendente de médio prazo. Resistência fixada na média móvel de 200 dias.



As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI