Bolsa Matérias-primas pressionam Wall Street

Matérias-primas pressionam Wall Street

As principais bolsas norte-americanas fecharam em baixa, penalizadas sobretudo pelo desempenho negativo da generalidade das "commodities", com destaque para a energia num dia de queda dos preços do petróleo.
Matérias-primas pressionam Wall Street
Bloomberg
Carla Pedro 25 de julho de 2016 às 21:25

O Standard & Poor’s 500 encerrou esta segunda-feira a recuar 0,30% para 2.168,54 pontos, depois de quatro semanas consecutivas de saldo positivo.

 

Também o índice industrial Dow Jones cedeu hoje terreno, a descer 0,42% para 18.493,06 pontos.

 

O tecnológico Nasdaq Composite, por seu lado, desvalorizou 0,05% para 5.097,62 pontos.

 

A generalidade das matérias-primas registou hoje uma má performance nos mercados, o que castigou os títulos das empresas ligadas ao sector.

 

A energia esteve em destaque nas perdas, fortemente pressionada pela descida dos preços do crude. Também o ouro continua a ceder algum terreno, o que penalizou as cotadas que operam com este metal precioso.

 

Algumas tecnológicas também contribuíram para o mau desempenho das bolsas do outro lado do Atlântico, com especial ênfase para a Roper Technologies, que recuou após reportar lucros abaixo das expectativas.

 

No entanto, o Nasdaq acabou por ser o índice que menos terreno perdeu devido à compensação por parte da Micron Technology, que disparou 6% depois de recorrer a um mecanismo de defesa - contra uma oferta de compra – chamado "comprimido de veneno".

 

Os investidores continuam atentos aos resultados trimestrais das empresas norte-americanas que estão a ser divulgados e estão também à espera de mais indicações sobre a política monetária da Reserva Federal na reunião desta semana. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI