Bolsa Banca e energia pressionam bolsa nacional

Banca e energia pressionam bolsa nacional

A bolsa nacional iniciou a sessão em queda, pressionada pela descida das acções da banca e da energia, num dia de quedas generalizadas entre as praças europeias.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 29 de agosto de 2016 às 08:04

O PSI-20 recua 0,20% para 4.683,25 pontos, com nove cotadas em queda, três em alta e seis inalteradas. Entre os congéneres europeus a tendência é idêntica, com a maior parte dos índices a iniciarem a sessão em queda, nesta que é a primeira desde que a perspectiva de subida de juros nos EUA já em Setembro disparou.


As bolsas europeias ainda fecharam a sessão de sexta-feira com uma perspectiva de que os juros nos EUA poderiam não subir já em Setembro. Isto porque o discurso da presidente da Reserva Federal (Fed), Janet Yellen, de sexta-feira foi cauteloso, apesar de indicar que a subida de juros no país estava para breve. Mas se as declarações de Yellen apontaram para alguma cautela, as que se seguiram foram directas. O vice-presidente da Fed deu uma entrevista poucos minutos depois de Yellen falar e sugeriu que os juros podem não só subir já em Setembro como poderá haver dois aumentos ainda este ano.

As bolsas europeias não chegaram a reflectir esta perspectiva de subidas de juro próximas nos EUA, estando esta segunda-feira, 29 de Agosto, a descontar esta estimativa.

A praça lisboeta não é excepção e segue em queda, com o BCP a ceder 0,55% para 1,81 cêntimos e o BPI a recuar 0,45% para 1,101 euros.

A EDP também pressiona ao descer 0,33% para 3,002 euros, assim como a Galp, que cai 0,95% para 13,015 euros.

Do lado oposto está a Semapa, ao subir 2% para 11,995 euros, e a Mota-Engil, que ganha 0,52% para 1,739 euros.

(Notícia actualizada com mais cotações)




Marketing Automation certified by E-GOI