Bolsa Energia pressiona Wall Street

Energia pressiona Wall Street

As bolsas dos EUA não resistiram e terminaram o dia em queda. A descida foi ligeira e incapaz de anular a nota positiva da semana, mas refletiu a perda de algum entusiasmo por parte dos investidores.
Energia pressiona Wall Street
Reuters
Sara Antunes 11 de janeiro de 2019 às 21:25

As bolsas dos EUA não resistiram neste fecho de semana e encerraram a sessão com quedas ligeiras. Ainda assim o balanço da semana é positivo, com o S&P500 a registar a terceira semana consecutiva de ganhos, algo que já não acontecia desde setembro.

 
O Dow Jones perdeu 0,03% para 23.995,95 pontos, o Nasdaq cedeu 0,21% para 6.971,48 pontos e o S&P500 caiu 0,015% para 2.596,26 pontos.

A pesar na negociação esteve o setor da energia, que recuou, num dia em que os preços do petróleo deslizaram mais de 1%.  A Exxon Mobil perdeu 0,5% e a Chevron recuou 0,8%.

 

A penalizar esteve também, de acordo com a Reuters, os receios em torno dos resultados das cotadas americanas, numa altura em que se aproxima o início da época de resultados das empresas. E depois de algumas cotadas terem já revisto em baixa as suas previsões de lucros.

 

Ainda assim, uma das estrelas da sessão foi a General Motors, que subiu mais de 7%, depois de ter revisto em alta as suas previsões dos resultados de 2018, contrariando assim o que estava a ser feito por várias cotadas, entre elas a Apple ainda no final do ano passado.

 

Os analistas consultados pela Reuters estimam que as cotadas do S&P500 tenham registado um aumento de 14,5% dos lucros no último trimestre de 2018. Apesar de ainda ser um aumento de resultados expressivo, é inferior às estimativas de outubro, que apontavam para um aumento médio superior a 20%.

 

Para  2019, os mesmos analistas preveem um acréscimo nos lucros de 6,4%.




Saber mais e Alertas
pub