Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Abertura dos mercados: Dados económicos e Fed condicionam bolsas

O dia será marcado pela divulgação de vários dados económicos na Europa e pelas minutas da última reunião da Fed. As bolsas asiáticas estão a subir, os futuros das bolsas europeias e norte-americanas também estão em alta, num dia em que os investidores aguardam a divulgação da taxa de desemprego e das vendas a retalho na Europa, das exportações da Alemanha e do mercado de trabalho nos EUA.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 08 de Janeiro de 2014 às 07:57
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os investidores estão algo expectantes em relação à divulgação das minutas da última reunião da Reserva Federal (Fed) dos EUA, que ocorreu nos dias 17 e 18 de Dezembro, e na qual os responsáveis pela política monetária decidiram reduzir os estímulos económicos. Assim, o programa de compra de activos foi cortado em 10 mil milhões de dólares para 75 mil milhões por mês.

 

E a expectativa é de que esta redução se prolongue. Ainda na terça-feira, 7 de Janeiro, o presidente da Fed de São Francisco, John Williams, afirmou que o programa de compra de activos poderá ser concluído no final deste ano.

 

Os maiores focos de atenção estão concentrados nas referências sobre a manutenção das taxas de juro baixas por um período longo de tempo e se há preocupações dos responsáveis da Fed com a inflação.

 

Também esta quarta-feira serão conhecidos os dados da criação de emprego nos EUA, um indicador de relevo numa altura em que a Fed já colocou como referência dos 6,5% de taxa de desemprego para não descer os juros no país.

 

A condicionar a negociação bolsista está também a divulgação das exportações da Alemanha, um indicador que será divulgado esta quarta-feira, depois de já ontem ter sido revelado que o desemprego neste país diminuiu em Dezembro, para o nível mais baixos dos últimos dois anos.

 

Esta quarta-feira serão ainda conhecidos os dados do desemprego do Eurostat, com os analistas a preverem um aumento da taxa em Itália.

 

O Eurostat vai ainda revelar as vendas a retalho dos países da União Europeia.

 

As bolsas asiáticas sobem, pela primeira vez desde o início do ano, numa manhã marcada pela queda do iene devido à espectativa que está a ser gerada pela divulgação das minutas da última reunião da Fed.

 

O índice MSCI Ásia Pacífico avança 0,9%, num dia em que o japonês Topix avançou 1,8%.

 

“A situação nos EUA vai continuar, vai ganhar ritmo, por isso podemos esperar que o crescimento surpreenda” pelo lado positivo, referiu à Bloomberg Bill Maldonado, responsável de investimento no mercado asiático da HSBC. “Desde que a Europa não volte à recessão, o crescimento dos mercados desenvolvidos vai representar muito boas notícias, especialmente para o norte da Ásia porque as exportações vão ser cruciais para essas economias em 2014”, acrescentou o mesmo responsável.

 

O euro continua a subir, avançando 0,03% para 1,3620 dólares.

 

Os preços do petróleo seguem a mesma tendência, com o Brent, referência para Portugal, a apreciar 0,26% para 107,63 dólares, numa altura em que os investidores aguardam a divulgação das reservas de petróleo e derivados dos EUA. Os analistas consultados pela Bloomberg estimam que as reservas de crude dos EUA tenham diminuído em 2,75 milhões de barris na semana passada, numa altura em que uma vaga de frio está assolar parte do país e em que o consumo de combustíveis para aquecimento deverá aumentar.

Ver comentários
Saber mais bolsas EUA Europa Ásia Fed Eurostat dados económicos
Outras Notícias