Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Acções da REN sobem 1% com forte liquidez após fixação do preço da OPV

A reacção em bolsa ao anúncio do preço a que as acções vão ser vendidas na oferta pública de venda foi positiva. Os títulos subiram mais de 1% numa sessão em que a liquidez foi a mais elevada desde Dezembro de 2012.

Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 13 de Junho de 2014 às 17:43
  • Partilhar artigo
  • 5
  • ...

As acções da REN fecharam em alta de 1,15% para 2,72 euros, reagindo de forma positiva ao anúncio do preço de subscrição dos títulos na oferta pública de venda. Este foi fixado nos 2,68 euros, o que representa apenas um ligeiro desconto face à cotação de fecho da sessão de quinta-feira (2,689 euros).

 

Com a subida de hoje, as acções fecharam 1,5% acima do preço a que os títulos serão vendidos na OPV. Este valor foi determinado pela procura dos investidores institucionais, já que se fosse com base na cotação média ponderada pelo volume das últimas cinco sessões, o preço ficaria na casa dos 2,88 euros.

 

A REN anunciou que a oferta foi totalmente subscrita pelos investidores institucionais, que ficaram com mais acções que o previsto, já que, na tranche direccionada para os investidores particulares, a procura não atingiu a oferta prevista.

 

Para a OPV no retalho estavam destinadas 11.748.000 acções da REN (1,88% do capital), sendo que a procura ascendeu a apenas a 10.047.680 acções. Desta forma foram colocadas 48.692.320 acções (9,12% do capital) junto dos investidores institucionais, quando a oferta previa para esta tranche apenas 46.992.000 títulos. Este mecanismo de comunicação entre as duas tranches estava previsto, sendo normal neste tipo de operações.

 

O facto de as acções terem sido vendidas com o desconto diminuto e a indicação de que a procura dos institucionais superou a oferta ajudam a explicar o comportamento positivo dos títulos na sessão de hoje.

 

Com a subida de hoje a REN eleva para 21,5% a valorização acumulada este ano, com a capitalização bolsista a situar-se nos 1.452 milhões de euros.

 

Liquidez mais elevada desde Dezembro de 2012

 

O interesse dos investidores institucionais na REN foi também visível na liquidez elevada das acções na sessão de hoje. Foram transaccionados 3,74 milhões de acções, o que representa o volume mais elevado desde Dezembro de 2012 e quase nove vezes acima da média diária dos últimos seis meses (421 mil acções).

 

O Estado vai encaixar cerca de 157 milhões de euros com a venda de 11% do capital da REN, sendo que a Parpública receberá 141,7 milhões de euros com a venda de 9,9% da gestora da rede eléctrica, sendo que a Caixa Geral de Depósitos realizará um encaixe de 15,7 milhões de euros.

 

Registou-se assim uma fraca procura pelos pequenos investidores numa oferta que esteve no mercado menos de duas semanas e durante um período marcado por vários feriados.

   

"Considerando que na venda directa institucional se verificou um excesso de procura e que na Oferta Pública de Venda não foi colocada a totalidade das acções previstas, as acções da REN não colocadas na Oferta Pública de Venda são realocadas para a venda directa institucional e aí alienadas", refere o comunicado enviado ao regulador.

 

Ver comentários
Saber mais REN Parpublica Caixa Geral de Depósitos Oferta Pública de Venda
Outras Notícias