Bolsa Acções e obrigações do BES continuam suspensas pela CMVM

Acções e obrigações do BES continuam suspensas pela CMVM

A CMVM continua à espera da "divulgação de informação relevante e segura" sobre o BES. A avaliação que o Banco de Portugal está a fazer é uma delas. Daí que as acções e as obrigações continuem sem ser negociadas.
Acções e obrigações do BES continuam suspensas pela CMVM
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 10 de setembro de 2015 às 19:28
As acções do Banco Espírito Santo vão manter-se fora da negociação regulamentar, tal como as obrigações subordinadas que não foram transferidas para o Novo Banco. 

"O conselho de administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deliberou, nos termos do artigo 214º, da alínea b) do n.º 2 do artigo 213º e do número 2 do art. 215º, todos do Código dos Valores Mobiliários, a prorrogação da suspensão da negociação das ações e dos instrumentos de dívida do Banco Espírito Santo, SA", indica o comunicado publicado através do site do regulador.

Mais uma vez, a decisão do regulador do mercado de capitais só será revista quando houver "divulgação de informação relevante e segura sobre o emitente". A suspensão prolonga-se por dez dias úteis (como tem acontecido normalmente, já que a legislação não permite um prazo mais alargado).  

Mesmo depois de divulgados os resultados do BES à data de 3 de Agosto de 2014 (dia da resolução que o transformou num veículo com activos e passivos problemáticos do antigo banco), que revelaram um buraco de 2,4 mil milhões de euros, o regulador liderado por Carlos Tavares optou por manter as acções e obrigações da entidade fora do mercado. 

A CMVM continua à espera que lhe chegue às mãos a avaliação que tem de ser feita por ordem do Banco de Portugal, para determinar o que valeria o BES caso tivesse entrado em liquidação e não tivesse sido alvo de resolução (a legislação determina que os accionistas e detentores de dívida não podem perder mais com uma resolução do que com uma liquidação). Esse é um trabalho da responsabilidade do Banco de Portugal, que será conduzido pela Deloitte e que o regulador do sector financeiro só promete para o final do ano. 

Suspensas de bolsa, as acções do veículo que herdou os activos e passivos considerados problemáticos do BES estavam a ser negociadas em Agosto, fora do mercado regulamentado, por três cêntimos, como noticiou o Negócios um ano depois da aplicação da medida de resolução. 

Em causa estão as acções do BES e os seguintes títulos: BES PERPETUAL SERIE USD (código ISIN PTBEROOM0030); BES OBRIGACOES CX SUBORDINADAS 2011 (código ISIN PTBEQFOM0016); BES PERPETUAL (código ISIN PTBENBOM0021). 


(Notícia actualizada às 19h40: a CMVM acrescentou, no comunicado, a referência ao prazo da suspensão)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI