Bolsa Altice dispara mais de 6% com notícia de que pode vender negócio em Portugal

Altice dispara mais de 6% com notícia de que pode vender negócio em Portugal

Fonte oficial da Altice Europe não quis comentar a notícia, avançada por uma publicação especializada em telecomunicações, que dá conta que a Altice pretende sair do mercado português.  
Altice dispara mais de 6% com notícia de que pode vender negócio em Portugal
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 06 de julho de 2018 às 15:12

As acções da Altice negoceiam em alta acentuada esta sexta-feira, reagindo à notícia de que a operadora de Patrick Drahi pode estar a avaliar a venda do seu negócio em Portugal.

 

A notícia foi avançada pela TMT Finance, com a publicação especializada no sector das telecomunicações e em fusões e aquisições a adiantar que entre os potenciais interessados estão a espanhola Telefónica e a francesa Orange.

 

As acções da Altice dispararam um máximo de 6,7% para 3,378 euros, elevando a valorização acumulada em 2018 para 78%. A capitalização bolsista da Altice Europe ascende a 4,6 mil milhões de euros. No mercado de dívida a notícia também está a ter impacto, com as obrigações da Altice a valorizarem.

 

Segundo a firma de research New Street, este negócio poderá representar um encaixe entre 7 a 8 mil milhões de euros para a Altice, um valor que se encontra acima dos 6,5 mil milhões de euros a que esta casa de investimento avalia estes activos (já excluindo as torres de telecomunicações).

 

Em declarações à Bloomberg, fonte oficial da Altice Europe não quis comentar a notícia da TMT Finance.

 

Os rumores sobre a Altice pretender vender o negócio em Portugal não são novos e no passado foram sempre desmentidos.  O jornal francês "Le Monde" noticiou em Janeiro que a Orange poderia avançar para a compra da PT Portugal caso a companhia de Patrick Drahi mostrasse disponibilidade para vender.

 

Contudo, a empresa francesa que agora volta a ser apontada como interessada na compra do negócio da Altice em Portugal desmentiu este interesse. Também nessa altura, a Altice negou este cenário, aproveitando para relembrar que tem reiterado que a PT Portugal é um activo essencial para o grupo. 

 

Quando nos últimos meses de 2017 a Altice sofreu quedas violentas em bolsa devido à pressão dos investidores assustados com a elevada alavancagem da empresa (50 mil milhões de euros, a dívida mais elevada entre as telecoms europeias), a empresa de Patrick Drahi anunciou um plano de venda de activos. Este não integrava a PT Portugal.

 

Em Portugal a Altice controla a Meo e recentemente alienou o negócio das torres de telecomunicações no país. Em 2015 a Altice comprou a PT Portugal à Oi, por 5,8 mil milhões de euros, e falhou recentemente a compra da Media Capital, devido às questões regulatórias impostas pela Autoridade da Concorrência.

 

De acordo com a New Street, os activos em Portugal são os mais bem posicionados para a Altice cumprir a promessa de redução de dívida, caso falhem as negociações para vender a actividade na República Dominicana.

 

Esta unidade de research também conclui que o interesse da Telefónica no mercado português é "pouco provável", dado que o foco da cotada espanhola passa por racionalizar o negócio e baixar a alavancagem.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI