Bolsa Apuros da Turquia fragilizam Wall Street

Apuros da Turquia fragilizam Wall Street

As bolsas norte-americanas abriram em baixa, pressionadas pelos apuros da Turquia, numa altura em que a forte desvalorização da lira turca está a abalar os mercados de todo o mundo devido aos receios em torno da economia de Ancara e das preocupações em torno da guerra diplomática com os Estados Unidos.
Apuros da Turquia fragilizam Wall Street
Reuters
Carla Pedro 10 de agosto de 2018 às 14:34

O Dow Jones segue a recuar 0,46% para 25.392,51 pontos e o Standard & Poor’s 500 desce 0,61% para 2.836,27 pontos.

 

Já o Nasdaq Composite segue a ceder 0,68% para 7.838,21 pontos.

 

A lira turca continua a desvalorizar, sobretudo devido à incapacidade de o banco central controlar a inflação e em resultado das preocupações em torno da guerra diplomática com os Estados Unidos, tendo caído hoje para um novo mínimo histórico face ao dólar, a mergulhar 14%. No acumulado do ano, afunda 40%.

 

Entretanto, o presidente turco, Tayyip Erdogan, já falou ao país e pediu à população para trocar ouro e dólares por liras, numa altura em que as relações com os EUA estão a deteriorar-se.

 

O presidente norte-americano, Donald Trump, veio deitar achas na fogueira, dizendo que autorizou um aumento das tarifas aduaneiras sobre as importações de produtos turcos, impondo assim taxas de 20% sobre o alumínio e de 50% sobre o aço.

 

No Twitter, a sua rede social de eleição, Trump congratulou-se com a "rápida queda da lira contra o nosso fortíssimo dólar".

 

Por outro lado, hoje foi anunciado que o índice de preços no consumidor nos EUA subiu em Julho e que a tendência subjacente continua a fortalecer, apontando para um aumento das pressões inflacionistas.

 

Os investidores têm estado atentos aos dados da inflação para terem pistas sobre a evolução do ritmo de subida dos juros directores por parte da Reserva Federal.

 

A Fed já elevou duas vezes os juros este ano e está previsto que o faça mais duas vezes até ao final do ano.