Bolsa Banca europeia continua a acelerar ganhos e impulsiona Europa

Banca europeia continua a acelerar ganhos e impulsiona Europa

O sector da banca está a acelerar os ganhos e continua a impulsionar as principais praças europeias. Esta evolução tem lugar depois do sector ter estado sob pressão recentemente.
Banca europeia continua a acelerar ganhos e impulsiona Europa
Bloomberg
Ana Laranjeiro 12 de fevereiro de 2016 às 11:40

A banca europeia continua a recuperar das quedas recentes. O sector tem estado sob pressão, com os investidores a prestarem atenção a vários factores relacionados com estas instituições. Por esta altura, o sector bancário é um dos que mais sobe no Velho Continente, crescendo 3,61%. Ainda na sessão de ontem, a banca sofreu a maior queda desde 2011.

Entre a banca europeia, destaque para o alemão Commerzbank, que é o que está a registar o melhor comportamento esta sexta-feira entre os congéneres. Por esta altura, os títulos do banco somam 13,97% para os 7,407 euros.

O Commerzbank revelou esta manhã que teve lucros de mil milhões de euros em 2015, depois de no ano anterior ter registado lucros de 266 milhões de euros. E anunciou a distribuição de dividendos, pela primeira vez desde 2007. Também no quarto trimestre os resultados foram acima das estimativas. A instituição lucrou 187 milhões de euros, depois de em 2014 ter registado prejuízos de 280 milhões, devido ao pagamento de 1,4 mil milhões de dólares nos Estados Unidos, por acordo com as autoridades norte-americanas, para pôr fim às investigações que verificaram a violação de medidas sobre lavagem de dinheiro. O valor apurado para os últimos três meses de 2015 superaram as estimativas que, pelos analistas contactados pela Bloomberg, apontavam para um lucro médio de 156,1 milhões de euros.

Ainda na banca germânica, o Deutsche Bank cresce 9,43% para 14,975 euros. No passado dia 10 de Fevereiro, a instituição financeira admitiu a possibilidade de recomprar dívida para aliviar pressão. Nesse dia, as acções encerraram a subir 10,20%, tendo travado ganhos na sessão de ontem, dia em que encerrou a cair 6,14%.

Entre as instituições com melhor desempenho nesta sessão está o italiano Banco Popolare, cujas acções valorizam 9,43% para 7,055 euros.

Na Grécia, o Eurobank Ergasias soma 7,78% para 31,6 cêntimos, registando também um dos melhores comportamentos da banca europeia.

No restante sector, nota ainda para os títulos do Unicredit, que apreciam 7,49% para 3,098 euros. E também para o Société Générale. O banco francês revelou ontem que obteve lucros de 656 milhões de euros no quarto trimestre do ano passado – um valor aquém do estimado pelos analistas e que penalizou as acções do banco na sessão de ontem. Mas esta sexta-feira os títulos estão a recuperar um pouco, subindo 1,11% para 27,77 euros.

Na banca nacional, o BCP perde 1,19% para 3,31 cêntimos. O BPI valoriza 3,74% para 97 cêntimos. Ontem, a agência de notação financeira Standard and Poor’s manteve o "rating" do BPI em ‘BB-‘ (terceiro nível de lixo), mas reviu o "outlook", ou seja a perspectiva de evolução – que passou de "negative" para "watch negative". Quer isto dizer que, no período de três meses, a agência poderá decidir-se por um corte na classificação do banco liderado por Fernando Ulrich.

O Negócios na edição desta sexta-feira noticia que a pressão sobre a banca europeia e risco de Portugal fizeram disparar o custo para proteger posições em dívida de bancos nacionais.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI