Bolsa BCP cai mais de 2,5% e arrasta bolsa

BCP cai mais de 2,5% e arrasta bolsa

A bolsa nacional já inverteu da tendência de ganhos registada logo na abertura e segue em queda, pressionada pela desvalorização superior a 2,5% do BCP.
BCP cai mais de 2,5% e arrasta bolsa
Miguel Baltazar
Sara Antunes 14 de agosto de 2019 às 09:12

A bolsa nacional ainda arrancou o dia em alta, mas rapidamente inverteu dessa tendência, num início de sessão que está a ser marcado por oscilações pouco definidas entre as praças europeias, numa altura em que o fantasma da recessão económica volta a assombrar os investidores.

 

Os dados do produto interno bruto (PIB) da União Europeia serão conhecidos esta quarta-feira, tendo já sido divulgado o PIB da Alemanha. Os dados confirmaram a contração da maior economia europeia no segundo trimestre do ano, o que acentuou os receios dos investidores.

 

A atenuar a queda estão as novidades sobre as negociações comerciais entre a China e os EUA, com Washington a adiar a aplicação de tarifas sobre alguns produtos chineses e Pequim a anunciar uma nova ronda de negociações. As novidades foram conhecidas na terça-feira, antes do fecho das bolsas europeias, o que permitiu que os índices subissem.

 

Na bolsa nacional, o BCP volta a destacar-se ao perder 2,66% para 0,2010 euros, numa altura em que o setor bancário é dos que mais penalizam a negociação bolsista. Um cenário de contração da economia europeia, ou mesmo recessão, aumenta a especulação sobre a manutenção de uma política de juros baixos, o que penaliza o setor, que vê as suas margens estreitarem.

 

A penalizar a bolsa estão também as ações da Pharol, ao perderem 3,42% para 0,13 euros, ainda a refletir a notícia de que o BCP acionou a garantia de um empréstimo da High Bridge (que entrou em incumprimento). A garantia eram ações da Pharol, equivalentes a cerca de 10% do capital da empresa liderada por Palha da Silva, com o banco a deixar claro que o seu objetivo é que estes títulos sejam vendidos. Uma posição que aumenta a pressão sobre as ações, uma vez que a expectativa é que seja libertada uma quantidade significativa de ações no mercado.

 

Em queda estão ainda os CTT, ao perderem 1,08% para 1,825 euros, bem como o setor do papel. A Navigator recua 0,69% para 2,892 euros e a Altri 2,23% para 5,475 euros.


Do lado oposto está o grupo EDP, com a elétrica a avançar 0,09% para 3,389 euros e a EDP Renováveis a crescer 0,75% para 9,46 euros. 

A Jerónimo Martins também evita uma queda mais pronunciada da praça lisboeta, ao avançar 0,38% para 14,41 euros. 



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI