Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCP e EDPR levam bolsa nacional a cair pela primeira vez em seis sessões

A bolsa portuguesa encerrou a sessão desta sexta-feira em queda mas, ainda assim, acumulou uma valorização superior a 4% esta semana. As bolsas europeias mantêm-se em alta e negoceiam num nível recorde.

A carregar o vídeo ...
Rita Faria afaria@negocios.pt 10 de Abril de 2015 às 16:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 71
  • ...

A bolsa nacional encerrou em queda esta sexta-feira, 10 de Abril, pela primeira vez em seis sessões. O PSI-20 perdeu 0,26% para 6.308,18 pontos, com 14 cotadas em queda e quatro em alta.  

 

No entanto, a bolsa de Lisboa acumulou uma valorização de 4,52% esta semana, a quinta consecutiva de ganhos. Esta é a mais longa série de subidas semanais desde Fevereiro de 2014.

 

A praça portuguesa contrariou, desta forma, a tendência positiva das bolsas europeias que continuam a beneficiar do optimismo dos investidores, numa semana que ficou marcada por fusões e aquisições que impulsionaram os principais índices do Velho Continente. O Stoxx600, que reúne as maiores empresas europeias, negoceia num novo máximo histórico de 412,75 pontos.  

 

"Este ano será a resposta da Europa ao que as acções dos Estados Unidos nos deram em 2013", referiu, em declarações à Bloomberg, Peter Grabry, estratega do Saxo Bank. "As empresas estão a enfrentar taxas de financiamento extremamente baixas, o euro no nível mais baixo em uma década, preços baixos do petróleo, um programa de flexibilização quantitativa [do BCE] e uma economia em crescimento. Se todos estes factores positivos não colocarem a Europa no eixo, nada o fará".

 

Na bolsa nacional, as cotadas que mais pressionaram o PSI-20 foram o BCP e a EDP Renováveis. 

 

O banco liderado por Nuno Amado deslizou 1,17% para 9,28 cêntimos, em linha com a tendência do sector. O Banif perdeu 2,6% para 0,75 cêntimos e o BPI caiu 0,61% para 1,458 euros.  Isto depois de ontem Isabel dos Santos ter proposto a inclusão de um novo ponto na ordem de trabalhos da AG de 29 de Abril. Isabel dos Santos quer que os accionistas se pronunciem já sobre a desblindagem de estatutos, uma condição essencial na OPA do CaixaBank. O objectivo pode passar por acelerar o insucesso da oferta.

 

Já a EDP Renováveis desvalorizou 1,17% para 6,492 euros, enquanto a EDP recuou 0,43% para 3,694 euros. A Galp Energia registou uma descida mais ligeira de 0,25% para 11,90 euros, numa altura em que o petróleo negoceia em alta nos mercados internacionais. A matéria-prima de referência para Portugal, o Brent, sobe 1,84% para 57,61 dólares. A REN, por seu turno, desceu 0,69% para 2,86 euros, uma cotação próxima do máximo de Março de 2014 atingido esta sexta-feira (2,9 euros).

 

Com desvalorizações expressivas encerraram as cotadas do sector da construção, com a Mota-Engil a deslizar 3,12% para 3,41 euros e a Teixeira Duarte a perder 1,67% para 76,5 cêntimos.

 

Além destas, a contribuir para a tendência negativa do PSI-20 estiveram também a PT, que deslizou 1,62% para 60,7 cêntimos e a Nos, que perdeu 0,52% para 6,856 euros, depois de ter atingido esta manhã um máximo de Maio de 2008 (6,90 euros).

 

Novos máximos atingiram ainda a Semapa e a Portucel. A Portucel encerrou a perder 0,6% para 4,654 euros, depois de ter chegado a negociar nos 4,74 euros, o que corresponde a um máximo histórico. A Semapa, que também tocou num recorde (14,59 euros), valorizou 1,83% para 14,185 euros, depois do BESI ter colocado a empresa na lista das "balas de prata" do segundo trimestre de 2015.

 

Além da Semapa, só as retalhistas e a Altri encerraram com sinal positivo. A Jerónimo Martins ganhou 2,35% para 12,625 euros, a Sonae somou 0,07% para 1,49 euros e a Altri valorizou 1,40% para 4,28 euros depois de ter anunciado que vai acompanhar o movimento de subida de preço da pasta branqueada de eucalipto de fibra curta (BEKP, na sigla em inglês) que foi já anunciado pela espanhola Ence.

 

(Notícia actualizada às 17h03)

Ver comentários
Saber mais Lisboa Velho Continente Europa mercado financeiro Estados Unidos PSI-20 BCP EDP Renováveis economia negócios e finanças economia negócios e finanças macroeconomia
Outras Notícias