Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCP quebra mais de 4% arrastando BVLP; PSI20 perde 1,23% (act.)

O Banco Comercial Português encerrou a sessão a cair mais de 4%, arrastando a Bolsa de Valores de Lisboa e Porto. O PSI20 desvalorizou 1,23% e o PSI30 recuou 1,26%.

Duarte Costa 09 de Janeiro de 2002 às 17:07
O Banco Comercial Português encerrou a sessão a cair mais de 4%, arrastando a Bolsa de Valores de Lisboa e Porto. O PSI20 desvalorizou 1,23% e o PSI30 recuou 1,26%.

O PSI30 quebrou para os 3.708,24 pontos, enquanto o PSI20 [PSI20] encerrou nos 7.741,05, com catorze empresas a perderem, quatro a valorizarem e duas inalteradas.

O BCP [BCP], a acção mais negociada na BVLP, resvalou 4,14% para os 4,17 euros, depois do abandono de quatro elementos do Conselho de Administração e de ter revisto em baixa a estimativa dos lucros para 2001, criando um clima de instabilidade junto dos investidores, que segundo um operador, contactado pelo Negocios.pt « deverá continuar até à divulgação dos resultados anuais, que deverá ocorrer a 22 de Janeiro».

O maior banco privado português afirmou ontem que o resultado por acção em 2001 deverá ser inferior ao do exercício anterior. Pelo que face a esta alteração, o BPI reviu em baixa as suas previsões para os lucros anuais do BCP, dos anteriores 679 milhões de euros para os 585 milhões de euros, enquanto o Santander Central Hispano cortou as suas previsões de lucros líquidos do BCP em 18% para os 556,4 milhões de euros em 2001.

A Portugal Telecom [PTC] valorizou 0,44% para os 9,15 euros, evitando maiores perdas dos índices nacionais, enquanto a PT Multimédia [PTM] cedeu 0,99% para os 8,02 euros.

A Vodafone Telecel [TLE] cresceu 1,48% para os 9,57 euros, depois da UBS Warburg ter aumentado o preço-alvo das acções da operadora para 11,3 euros, elevando a recomendação de «manter» para «comprar».

A Electricidade de Portugal [EDP] perdeu 1,26% para os 2,35 euro, depois de ter ganhos de 1,71% na sessão anterior.

A Brisa [BRISA] caiu 2,81% para os 4,50 euros, negociando no valor mais baixo desde Junho de 2000, enquanto a congéneres espanhola a ACESA perdeu 2,03% para 10,60 euros, depois do jornal «Expansion» ter noticiado que a concessionária de auto-estradas estaria interessada em participar na privatização da Empresa Nacional de Autopistas (ENA).

Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio