Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BES cai 65,4% em dois dias, perde o equivalente a uma Semapa e já vale menos que o Banif

As acções do BES voltaram a afundar mais de 40% esta sexta-feira, antes de a CMVM ter determinado a suspensão de negociação dos títulos. Em dois dias a capitalização bolsista do BES encolheu 1,2 mil milhões de euros, o valor de mercado da Semapa.

Bloomberg
Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 01 de Agosto de 2014 às 17:01
  • Partilhar artigo
  • 50
  • ...

BES afundou esta sexta-feira 40,3% para 12,0 cêntimos, tendo descido um máximo de 49,75% para 10,1 cêntimos, o que corresponde a um novo mínimo histórico. O BES recuava assim mais de 40% antes do regulador determinar a suspensão da negociação dos títulos, à espera da divulgação de informação revelante. O Negócios sabe que em causa está a apresentação do plano de recapitalização.

 

Com a descida desta sexta-feira, o banco liderado por Vítor Bento perdeu 65,4% do seu valor em apenas dois dias. A capitalização bolsista do BES é agora de 675 milhões de euros, menos 1,27 mil milhões do que antes de ter revelado a dimensão dos seus prejuízos semestrais. Esta perda equivale à capitalização bolsista da Semapa.


Com as quedas recentes, o Banif passou a valer mais do que o BES, com a sua capitalização bolsista nos 1,017 mil milhões de euros, que contabiliza a posição do Estado.

 

A queda das acções acentuou-se no início da tarde, depois de ter sido conhecido que o Goldman Sachs deixou de ter uma participação qualificada no capital do BES.

 

A justificar este comportamento estão os resultados revelados na quarta-feira, 30 de Julho, à noite. O BES reportou prejuízos históricos de 3,57 mil milhões de euros, depois de ter registado imparidades no valor total de 4,3 mil milhões de euros.

 

Vítor Bento, na mensagem divulgada através de um comunicado, admitiu que o banco precisa de aumentar o capital e vender activos, mas não quantificou a dimensão do aumento de capital.

 

O Banco de Portugal reiterou que se o banco precisar tem à sua disposição a linha de recapitalização da banca, mas "considera desejável" que a instituição reforce o seu capital sem recurso ao Estado.

 

Por saber está a dimensão do aumento de capital que o BES terá de fazer e de que forma vai conseguir fazê-lo. Os analistas estimam que o reforço de capitais possa chegar aos quatro mil milhões de euros.

 

O Negócios noticia esta sexta-feira, 1 de Agosto, que a equipa de Vítor Bento está a fazer tudo para evitar o apoio público. Mas a solução que está a ser trabalhada no Banco de Portugal, com conhecimento do Governo, prevê a participação de fundos públicos. Alguns interessados apoiam a solução mista.

 

Além disso, o Negócios sabe que, além do aumento de capital, exclusivamente através do mercado ou resultante da conjugação de fundos públicos e privados, existe um plano B para lidar com os problemas do BES. Esta alternativa, com menor grau de viabilidade, prevê a utilização do Fundo de Resolução para financiar a reestruturação do banco imposta pelo Banco de Portugal.

 

Na última quinta-feira, as acções do BES chegaram a afundar 51,01% e terminaram o dia a perder 42,07%, uma variação nunca observada desde que as acções negoceiam em bolsa (1993).

Ver comentários
Saber mais BES Vítor Bento Banco de Portugal
Outras Notícias