Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BES avança 16% desde que realizou “conference call” com analistas

As acções do BES negoceiam em terreno positivo tendo já, esta manhã, avançado mais de 8%. Na última segunda-feira, o Banco Espírito Santo realizou uma “conference call” com analistas para tentar acalmar os receios do mercado. Desde esse dia, os títulos crescem 16,45%.

Miguel Baltazar/Negócios
  • Assine já 1€/1 mês
  • 14
  • ...

As acções do Banco Espírito Santo (BES) já avançaram esta manhã 8,76% para 74,5 cêntimos. Por esta altura, apreciam 2,34% para 70,1 cêntimos, numa altura em que já trocaram de mãos mais de 49 milhões e a média diária é de 26 milhões. Ainda assim, esta manhã os títulos do banco liderado por Ricardo Salgado já recuaram 4,96% para 65,1 cêntimos.

 

O grupo Espírito Santo e o Banco Espírito Santo têm sido frequentemente notícia nas últimas semanas. Ainda na última segunda-feira, 30 Junho, a Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) emitiu um comunicado no qual proibia o "short selling" de acções do banco e da "holding" que detém 25% do banco.

 

Também na segunda-feira, foi conhecido que elementos do banco realizaram uma "conference call" com analistas para tentar acalmar os receios dos investidores e dos analistas. Tendo em conta o valor de fecho do BES nesse dia, os títulos do banco liderado por Ricardo Salgado avançaram 16,45% em duas sessões.

 

Esta manhã, o Negócios avança que a Venezuela e a Portugal Telecom são dos maiores credores do Grupo Espírito Santo. Por outro lado, a imprensa esta manhã aponta que a família Espírito Santo estará disposta a deixar todos os órgãos sociais do BES. Conselho Superior da família reúne, esta quarta-feira, para discutir o plano de reestruturação do grupo. Em cima da mesa, pode estar o recuo na criação do Conselho Estratégico e a saída de todos os órgãos sociais do grupo, avança o "Diário Económico.

 

A incerteza em torno da gestão do Banco Espírito mantém-se e as notícias sucedem-se. Esta quarta-feira, a edição do "Diário Económico" destaca que a família Espírito Santo está disposta a sair do Conselho Estratégico do banco.

 

Os cinco ramos da família, que controlam 25% do banco, estão dispostos a alterar a lista de elementos propostos para o Conselho Estratégico, o que pode acabar na saída de Ricardo Salgado e dos restantes elementos da família, segundo a mesma fonte.

 

Já esta terça-feira ao final do dia o "Expresso" avançava uma nova via para a sucessão a Salgado, que estaria a ser negociada pelos accionistas. Segundo esta fonte, a família Espírito Santo estará a negociar com outros accionistas, incluindo o Crédit Agricole, uma alternativa para a sucessão de modo a ser alcançado um consenso.

 

Não se trata de uma nova lista diferente da apresentada pela Espírito Santo Financial Group, mas sim da mesma já não liderada por Morais Pires. É o nome de Joaquim Goes, administrador executivo do banco, que volta a estar em cima da mesa, com base na expectativa de que um acordo alargado, possa facilitar a aprovação do Banco de Portugal e ultrapassar a indefinição.

 

Além disso, o processo da sucessão será acelerado. O Código das Sociedades Comerciais prevê que, no caso de um presidente executivo anunciar a sua saída e houver um consenso alargado e representativo dos accionistas em relação ao sucessor, uma substituição temporária pode ser acelerada, mesmo antes de uma assembleia geral definitiva (marcada para 31 de Julho).

 

Recorde-se que Goes reúne consenso quer de Salgado quer de José Maria Ricciardi, ao contrário de Morais Pires. Aliás, Joaquim Goes estava nas duas listas apresentadas pelos primos, na que Salgado conseguiu fazer avançar e na que Ricciardi quis propor.

 

Apesar da forte valorização em duas sessões, com base na cotação desta quarta-feira, o BES tem uma capitalização bolsista de 3.943 milhões de euros e, desde o início do ano, já recuou 25,35%.

Ver comentários
Saber mais BES analistas
Mais lidas
Outras Notícias