Bolsa Bolsa interrompe ganhos penalizada pelo setor energético

Bolsa interrompe ganhos penalizada pelo setor energético

A bolsa nacional interrompeu o ciclo de quatro sessões consecutivas de ganhos e está a registar quedas ligeiras, penalizada pelo setor energético, num dia em que o petróleo está a desvalorizar.
A carregar o vídeo ...
Rafaela Burd Relvas 16 de abril de 2019 às 08:24
A bolsa nacional interrompeu um ciclo de quatro sessões consecutivas de ganhos e abriu a sessão desta terça-feira, 16 de abril, em queda, com o PSI-20 a desvalorizar 0,05% para os 5.406,68 pontos, mantendo-se, ainda assim, nos níveis mais elevados desde o final de setembro do ano passado. Com oito cotadas em alta, cinco em queda e cinco inalteradas, o principal índice nacional está a ser penalizado pelo setor energético, num dia em que o petróleo está a desvalorizar nos mercados internacionais.

No resto da Europa, as principais praças seguem a negociar ainda sem uma tendência definida, numa altura em que os investidores aguardam por vários dados. Esta semana, várias empresas vão prestar contas do primeiro trimestre, incluindo os bancos Morgan Stanley, BlackRock e Bank of America. Do lado da economia, espera-se pela divulgação da evolução do produto interno bruto (PIB) chinês, que será feita na quarta-feira.

Por cá, é o setor energético que está a ditar o rumo do PSI-20. A Galp está a desvalorizar 0,9% para 14,35 euros por ação. A petrolífera nacional acompanha, assim, as quedas dos preços do petróleo. O barril de Brent, negociado em Londres e que serve de referência para o mercado português, recua 0,37% para os 70,92 dólares. Já o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, perde 0,17%, para os 63,29 dólares por barril.

Ainda no setor energético, a EDP continua a ser penalizada pela incerteza em torno da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela China Three Gorges, depois de a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter feito um ultimato à empresa estatal chinesa para resolver o impasse em torno desta operação. A elétrica nacional segue a perder 0,17% para os 3,45 euros por ação.

Também o setor do retalho está a penalizar o PSI-20, com a Sonae a depreciar 0,63% para os 95 cêntimos e a Jerónimo Martins a cair 0,32% para os 14,17 euros.

A impedir quedas mais acentuadas está a o BCP, que prolonga os ganhos expressivos registados na última sessão e segue a subir 0,2% para os 25 cêntimos.

As maiores subidsa são registada pela Semapa, que avança 0,93% para os 15,18 euros por ação, seguida pela REN, que sobe 0,39% para os 2,56 euros por ação.

Notícia atualizada às 08:26 com mais informação.



Marketing Automation certified by E-GOI